Ossada encontrada em mala em morro de Florianópolis é de homem de aproximadamente 40 anos - Polícia - Hora

Versão mobile

Na Caieira do Saco dos Limões30/11/2016 | 20h10Atualizada em 30/11/2016 | 20h11

Ossada encontrada em mala em morro de Florianópolis é de homem de aproximadamente 40 anos

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital. A Delegacia de Pessoas Desaparecidas também acompanha a investigação, já que os restos mortais podem ser de um homem que está na lista de desparecidos 

A ossada que estava dentro de uma mala encontrada e apreendida pelas polícias Militar e Civil, no domingo, no Alto da Caieira do Saco dos Limões, em Florianópolis, é de um homem de aproximadamente 40 anos, de acordo com o Instituto Geral de Perícias (IGP). 

Para IGP e PM, ossos estavam dentro da mala. Para a Polícia Civil, fora Foto: Divulgação / Delegacia de Desaparecidos

O homem teria morrido há alguns meses, disse o IGP, sem saber ao certo quantos. Eram poucos ossos dentro da mala, das regiões da bacia, costelas e algumas vértebras. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital. A Delegacia de Pessoas Desaparecidas também acompanha a investigação, já que os restos mortais podem ser de um homem que está na lista de desparecidos do Estado.

Titular da Delegacia de Pessoas Desaparecidas, o delegado Vanderlei Redondo, explica que há algumas semanas o pai de um homem desaparecido, que seria morador do Sul da Ilha, o procurou para relatar sua suspeita de que o filho pudesse ter sido assassinado. Como a idade do desaparecido é semelhante à conclusão que o IGP chegou sobre a idade do homem cujos ossos podem ser os encontrados na mala, Redondo solicitou ao IGP que seja feito levantamento genético da ossada encontrada na mala. 

— Há indícios fortes de que os ossos são de um masculino que está desaparecido há alguns meses. O pai dele nos procurou, e algumas características batem. Então, chamaremos o pai do suposto desaparecido, e a mãe, que mora fora do Estado, para fazermos uma coleta de material genético neles e depois poder comparar com o material genético dos restos mortais — aponta o delegado Redondo, para dizer que o resultado da análise dos ossos deve levar mais de um mês para ficar pronto.

O delegado Ênio Matos, titular da Delegacia de Homicídios, afirma que os ossos não estavam dentro da mala, mas sim do lado de fora. Ele informou que a vítima foi decapitada, pois somente partes do tronco foram encontradas. Ênio trabalhará em conjunto com a Delegacia de Pessoas Desaparecidas para apurar a identidade da vítima e averiguar se a mesma se encontrava nas listas de pessoas desaparecidas em Santa Catarina. 

Relembre o caso

Na tarde de domingo, as polícias Militar e Civil apreenderam uma mala com ossos em Florianópolis. Havia uma camisa dentro e a suspeita desde o início era de que se tratava de uma ossada humana. De acordo com informações do comando do 4º Batalhão da PM, o Copom foi acionado às 14h informando o encontro de um cadáver perto da comunidade do Alto da Caieira, no Maciço do Morro da Cruz, região Central da Capital. Ainda segundo a PM, crianças estavam brincando quando encontraram uma mala e dentro dela havia uma camisa quadriculada e ossos queimados. A Delegacia de Homicídios também foi acionada. As primeiras informações eram de que a mala estava em uma área de mata.

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros