Sumiço de idoso em Florianópolis completa quatro dias e polícia não tem pistas do paradeiro  - Polícia - Hora

Versão mobile

Saiu pra caminhar04/11/2016 | 16h51Atualizada em 04/11/2016 | 16h59

Sumiço de idoso em Florianópolis completa quatro dias e polícia não tem pistas do paradeiro 

Quem tiver informações sobre o paradeiro de seu Ornélio, pode ligar no telefone (48) 3879-1361

Na manhã desta sexta-feira completou quatro dias que o aposentado Ornélio da Costa Machado, 81 anos, desapareceu depois de sair para sua caminhada matinal na Cachoeira do Bom Jesus, no norte da Ilha, em Florianópolis. 

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Pessoas Desaparecidas, ainda não tem pistas sobre o paradeiro do senhorzinho. A principal linha de investigação é de que ele esteja na casa de algum amigo, mas outras hipóteses não são descartadas.

Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

A família de seu Ornélio registrou Boletim de Ocorrência (BO) na 7° Delegacia de Polícia, em Canasvieiras, e a Delegacia de Pessoas Desaparecidas, através do delegado Vanderlei Redondo, que também realiza diligências para encontrar o senhor que teria sido visto na noite de segunda no Terminal de Integração de Canasvieiras (Tican). 

Depois disso, apenas uma informação chegou ao delegado Redondo, de que Ornélio teria sido visto na Lagoa da Conceição, mas o relato não se confirmou e nem pistas de que tenha de fato ocorrido.

A esposa de seu Ornélio, Mara Regina da Silva Machado, 71 anos, casada com o aposentado há 54 anos, conta que na manhã de segunda ele saiu para fazer sua caminhada matinal, como de costume, até a praia. Ela afirma que vários vizinhos viram e conversaram com seu Ornélio, que devido à maré alta na região do trapiche da praia da Cachoeira do Bom Jesus, deu meia volta e caminhou em direção à Canasvieiras.

O delegado Vanderlei Redondo, titular da Delegacia de Pessoas Desaparecidas, afirma que foram espalhados cartazes com a foto de seu Ornélio por toda a cidade, a rede de apoio formada pela Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, entre outros, também está em alerta, mas até agora nenhuma informação consistente chegou aos investigadores.

— Pode ser que tenha acontecido algo grave com ele, mas há também a possibilidade de ele estar em algum conhecido. Trabalhamos com várias possibilidades. O que já foi divulgado dele, é muito difícil que ele esteja na rua. Nós temos dificuldade de pessoal, mas a gente consegue resolver muitos casos jogando as informações na rede social, porém, nesse caso isso ainda não surtiu efeito — narra Redondo.

Quem tiver informações sobre o paradeiro de seu Ornélio, pode ligar no telefone (48) 3879-1361

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros