"Ele saiu do local com medo de linchamento", diz advogado de motorista de Camaro - Polícia - Hora

Versão mobile

Atropelamento nos Ingleses04/01/2017 | 15h22Atualizada em 05/01/2017 | 07h11

"Ele saiu do local com medo de linchamento", diz advogado de motorista de Camaro

Defesa afirma que imagens de câmera de segurança vão ajudar a esclarecer como ocorreu o acidente. Assista ao vídeo

"Ele saiu do local com medo de linchamento", diz advogado de motorista de Camaro Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução / Facebook

O advogado Ademir Costa Campana, que defende Jeferson Bueno, 29 anos, motorista do Camaro que atropelou três pessoas na madrugada de Réveillon nos Ingleses, causando a morte de uma delas, afirma que seu cliente só saiu do local do acidente depois de acionar a ambulância. Além disso, afirma que Jeferson saiu por medo de ser linchado por populares que testemunharam o atropelamento. Ele pede a revogação da prisão.

Campana contou à reportagem da Hora que foi procurado por Jeferson ainda no domingo, dia 1°, na cidade de Taquara, no Rio Grande do Sul, Estado de origem do motorista.

— Ele relatou tudo que ocorreu no dia. Explicou que ele vinha andando na SC-403 e de repente sofreu um abalroamento — afirma o advogado.

A defesa está interessada em esclarecer os fatos porque, segundo Campana, "no primeiro momento se noticiou que ele teria atropelado e fugido".

— O delegado se precipitou em pedir a prisão preventiva sem antes examinar as imagens. Elas são claras. Ele vinha andando e um Audi invade a pista, dá o impacto e ele é jogado pra fora. Providenciou com alguns populares a chamada da ambulância. Ele só saiu do local em razão do fato de que estava sendo ameaçado, tanto que o condutor do Audi apanhou. Isso justifica a saída do meu cliente, saiu com medo de um linchamento — defende Campana.

O advogado explica também que Jeferson estava em uma pousada com a família, próximo do local. De acordo com ele, foi por medo de represália que o motorista deixou rapidamente o imóvel e voltou para o RS, onde entrou em contato com Campana.

Ele ainda afirma que a PM errou também em não ter realizado exame do bafômetro no condutor do Audi (ele se apresentou na delegacia). Campana ainda garante que seu cliente transitava em velocidade entre 80 e 85 km/h no momento do acidente.

— Meu cliente está abaladíssimo, ele é de uma família humilde, honesta. Não tem antecedentes, é trabalhador — diz o advogado. Para Campana, "o motorista do Audi é o real causador da tragédia". 

Defesa pede revogação da prisão

Segundo o advogado Campana, uma equipe que atua em Santa Catarina vai entrar com pedido de revogação da prisão de Jeferson, que já foi emitido pela Justiça catarinense.

— Meu cliente não bebeu, não usa drogas, isso será demonstrado durante o processo — garante o advogado.

De acordo com Campana, se não houvesse o pedido de prisão, o motorista já teria se apresentado.

— Ele diz que é tão vítima quanto os que estão hospitalizados. A minha orientação é se apresentar, mas por enquanto ele não vai se apresentar — afirma Campana, que diz que seu cliente está em Porto Alegre.

Leia mais:
"Não tenho mais condições de morar em Florianópolis", diz pai de vítima do acidente nos Ingleses 


 
 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCDefesa civil testa radar meteorológico móvel que será instalado no Sul de SC https://t.co/Y01pt2933C #HoraSC https://t.co/5dKa4RDClFhá 8 horas Retweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCExecutivo catarinense que vivia no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, encontra trabalho… https://t.co/yAwlMhTEd3há 8 horas Retweet

Veja também

Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros