Polícia, Hora de Santa Catarina, clicRBSHora de Santa Catarinahttp://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/urn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-iatom© 2011-2018 clicrbs.com.br2018-02-16T17:48:49-02:00urn:publicid:clicrbs.com.br:17397203Câmara afasta presidente da Comissão de Licitações que está com bens bloqueadosOperação do Gaeco que deu origem à denúncia também investigou contratos da mesma empresa com as Câmaras de São José, Palhoça e Biguaçu - nesta também já aconteceu denúncia e bloqueio de bens2018-02-16T17:48:49-02:002018-02-16T17:48:49-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo VargasCâmara afasta presidente da Comissão de Licitações que está com bens bloqueadosHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:17397203Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-camara-afasta-presidente-da-comissao-de-licitacoes-que-esta-com-bens-bloqueados-10166054Câmara afasta presidente da Comissão de Licitações que está com bens bloqueadosOperação do Gaeco que deu origem à denúncia também investigou contratos da mesma empresa com as Câmaras de São José, Palhoça e Biguaçu - nesta também já aconteceu denúncia e bloqueio de bens2018-02-16T17:48:49-02:002018-02-16T17:48:49-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Câmara de Vereadores de Florianópolis anunciou, na tarde desta sexta-feira, que afastou temporariamente o servidor Sérgio Luiz de Souza da presidência da Comissão de Licitações da Casa do Povo da Capital. Souza é réu em uma ação civil pública de improbidade administrativa oferecida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC) em novembro do ano passado. Ele foi acusado, junto com dois ex-servidores da Câmara, e os sócios da empresa Escrimate, de engendrarem uma maneira de favorecer a empresa de fotocópias através da celebração de contrato de fornecimento de serviços de impressão superfaturado e com licitação fraudada.Souza está com os bens bloqueados após o juiz Luiz Francisco Delpizzo Miranda, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Florianópolis, acolher o pedido da promotora Juliana Padrão Serra e determinar o bloqueio de bens dele, do ex-presidente da Câmara de Vereadores da Capital, Jaime Tonello, de José Luiz Coelho e Sérgio Luiz de Souza, respectivamente ex-diretor financeiro e ex-presidente da Comissão de Licitação do Legislativo municipal, e dos proprietários da empresa Escrimate, Robson Cardoso e Cledson Cardoso. O bloqueio alcança o valor de R$ 4,25 milhões, o que corresponde ao valor pago à empresa mais a possível multa a ser aplicada em caso de condenação.Os réus podem recorrer da decisão judicial. A empresa Escrimate, como informou com exclusividade o Hora de Santa Catarina na quarta-feira (14), teve renovado um contrato de prestação de serviços com a Câmara da Capital em 12 de janeiro (um mês após a Câmara garantir que não renovaria o acordo) para "fornecimento de solução de impressão corporativa Outsourcing de Impressão e Cópias para esta Casa Legislativa, com vigência até 09/07/2018". Até lá, a Câmara desembolsará quase R$ 192 mil com a Escrimate, cerca de R$ 32 mil por mês. O servidor Sérgio Luiz de Souza, atual gerente de contratos da Câmara da Capital, promete recorrer da decisão judicial e diz não querer comentar mais o assunto. Na nota da Câmara, o presidente do Legislativo, vereador Gui Pereira (PR) garante que a Câmara está elaborando um novo edital de licitação para o serviço de fotocópias. Abaixo, a nota da Câmara:"A Presidência da Câmara Municipal de Florianópolis, Guilherme Pereira tendo em vista as últimas notícias veiculadas na imprensa relativas ao caso Escrimate, vem por meio, da presente informar que afastou temporariamente, até que os fatos sejam devidamente esclarecidos.O afastamento se deu a pedido do próprio servidor e tem por finalidade preservar a pessoa do mesmo, bem como o da instituição que aguarda com devida brevidade que o caso requer, o desfecho do processo judicial.De outra parte, esclarece que está providenciando uma nova licitação da prestação de serviços fotocopiadoras desta Casa Legislativa. O presidente reitera seu compromisso com a verdade e a transparência."Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaCâmara afasta presidente da Comissão de Licitações que está com bens bloqueadosHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-camara-afasta-presidente-da-comissao-de-licitacoes-que-esta-com-bens-bloqueados-10166054Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-corpo-de-homem-e-encontrado-em-vala-atras-do-centrosul-em-florianopolis-10165244Corpo de homem é encontrado em vala atrás do Centrosul, em FlorianópolisO corpo estava em avançado estado de decomposição, não sendo possível de antemão precisar nem se a morte ocorreu em 2018 ou ainda no ano passado2018-02-15T21:23:09-02:002018-02-15T21:23:09-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO corpo de um homem foi encontrado em uma vala atrás do Centrosul, no Centro de Florianópolis, na tarde desta quinta-feira. Titular da Delegacia de Homicídios da Capital, o delegado Ênio Mattos afirma que o corpo estava em avançado estado de decomposição, não sendo possível de antemão precisar nem se a morte ocorreu em 2018 ou ainda no ano passado. Também não foi possível, ainda, verificar se o home foi morto com violência ou eventualmente afogado. — Só depois que o IGP fizer exames no corpo, poderemos dizer se a investigação será por homicídio, por enquanto não sabemos o que aconteceu — diz Ênio. O Instituto Geral de Perícias (IGP) será o responsável por tentar descobrir a identidade do homem, que não estava enterrado, mas em uma espécie de vala às margens da baia sul e fundos do centro de eventos da região central de Florianópolis em uma região de difícil acesso. No local, a polícia encontrou, além do cadáver, uma testemunha que foi a pessoa que comunicou a ocorrência à Polícia Militar.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaCorpo de homem é encontrado em vala atrás do Centrosul, em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-corpo-de-homem-e-encontrado-em-vala-atras-do-centrosul-em-florianopolis-10165244Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:17397203Justiça bloqueia bens de ex-presidente da Câmara, ex-servidores e empresáriosOperação do Gaeco que deu origem à denúncia também investigou contratos da mesma empresa com as Câmaras de São José, Palhoça e Biguaçu - nesta também já aconteceu denúncia e bloqueio de bens2018-02-15T17:37:58-02:002018-02-15T17:37:58-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo VargasJustiça bloqueia bens de ex-presidente da Câmara, ex-servidores e empresáriosHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:17397203Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-justica-bloqueia-bens-de-ex-presidente-da-camara-ex-servidores-e-empresarios-10164995Justiça bloqueia bens de ex-presidente da Câmara, ex-servidores e empresáriosOperação do Gaeco que deu origem à denúncia também investigou contratos da mesma empresa com as Câmaras de São José, Palhoça e Biguaçu - nesta também já aconteceu denúncia e bloqueio de bens2018-02-15T17:37:58-02:002018-02-15T17:37:58-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO juiz Luiz Francisco Delpizzo Miranda, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Florianópolis, acolheu o pedido da promotora Juliana Padrão Serra e determinou o bloqueio de bens do ex-presidente da Câmara de Vereadores da Capital, Jaime Tonello, de José Luiz Coelho e Sérgio Luiz de Souza, respectivamente ex-diretor financeiro e ex-presidente da Comissão de Licitação do Legislativo municipal, e dos proprietários da empresa Escrimate, Robson Cardoso e Cledson Cardoso. O bloqueio alcança o valor de R$ 4,25 milhões, o que corresponde ao valor pago à empresa mais a possível multa a ser aplicada em caso de condenação.Os réus podem recorrer da decisão judicial. A empresa Escrimate, como informou com exclusividade o Hora de Santa Catarina na quarta-feira (14), teve renovado um contrato de prestação de serviços com a Câmara da Capital em 12 de janeiro (um mês após a Câmara garantir que não renovaria o acordo) para "fornecimento de solução de impressão corporativa Outsourcing de Impressão e Cópias para esta Casa Legislativa, com vigência até 09/07/2018". Até lá, a Câmara desembolsará quase R$ 192 mil com a Escrimate, cerca de R$ 32 mil por mês. O pedido de bloqueio foi feito pela 31ª Promotoria de Justiça da Comarca de Capital em ação civil pública por ato de improbidade administrativa, com o objetivo de garantir o ressarcimento ao erário e o pagamento das possíveis obrigações determinadas pelo Judiciário em caso de condenação.Na ação, a Promotora de Justiça Juliana Padrão Serra de Araújo relata que os réus lançaram um edital de licitação direcionado para a Escrimate, contendo exigências de especificações técnicas fornecidas pela própria empresa, de forma a garantir que a mesma se sagrasse vencedora do certame, pois somente ela poderia supri-las - tanto que, apesar de várias empresas retirarem o edital, apenas ela apresentou proposta.Outro ponto destacado pela Promotora de Justiça é o fato de haverem exigências no edital que simplesmente foram ignoradas na execução do contrato, como a necessidade de dois técnicos em período integral que, por possuir informação privilegiada, a Escrimate sabia que não seria exigido, mas sim apenas um técnico no período vespertino.Diante dos fatos apresentados, o Juízo da 1ª Vara da fazenda Pública da Comarca da Capital concedeu a liminar pleiteada pelo Ministério Público de Santa Catarina e determinou o bloqueio de bens dos réus até o valor de R$ 4.255.760,38, que corresponde ao prejuízo causado ao erário mais o pagamento de possível multa a ser aplicada, conforme prevê a Lei de Improbidade Administrativa, em valores corrigidos. Miranda oficia também órgãos para que repassem a lista de imóveis e contas dos réus. O magistrado, em seu despacho, ainda determinou que se coloque segredo de Justiça no processo enquanto o Banco Central procede com o bloqueio de bens nas contas dos acusados. ContrapontoO advogado Leonardo Tatim, que representa os empresários Robson e Cledson Cardoso, irmãos que são sócios da Escrimate, não foi localizado pela reportagem para falar sobre o bloqueio de bens dos clientes e eventual recurso da defesa. O servidor Sérgio Luiz de Souza, atual gerente de contratos da Câmara da Capital, promete recorrer da decisão judicial e diz não querer comentar mais o assunto. O ex-servidor público José Luiz Coelho não foi localizado pela reportagem por enquanto. O ex-presidente da Câmara de Florianópolis, Jaime Tonello, disse que vai se inteirar do processo e recorrer da decisão. Questionou a decisão ao dizer que "nunca foi ouvido no processo" e garantiu que tudo foi feito "dentro da lei".Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaJustiça bloqueia bens de ex-presidente da Câmara, ex-servidores e empresáriosHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-justica-bloqueia-bens-de-ex-presidente-da-camara-ex-servidores-e-empresarios-10164995Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-corpo-de-homem-e-encontrado-nas-dunas-da-praia-do-santinho-norte-da-ilha-10161630Corpo de homem é encontrado nas dunas da Praia do Santinho, Norte da IlhaFlorianópolis registra 24 mortes violentas em 2018 (18 homicídios e seis mortes de pessoas em confronto com a polícia), de acordo com a SSP2018-02-11T18:48:23-02:002018-02-11T18:48:23-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO corpo de um homem, cuja identidade ainda não foi desvendada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), foi encontrado nas dunas da Praia do Santinho, no Norte da Ilha, em Florianópolis. Dois homens que faziam trilha pela região viram o corpo, em avançado estado de decomposição, e chamaram a Polícia Militar (PM) que realizou os procedimentos de retirada da vítima do local. O homem morto, um jovem, vestia apenas uma bermuda azul e estava deitado de bruços. Seu corpo foi encaminhado para o IGP à espera da identificação por familiares ou conhecidos.De acordo com o delegado Ênio Matos, titular da Delegacia de Homicídios da Capital, não é possível precisar há quantos dias o homem foi morto e a identificação da vítima necessitará de exames mais detalhados. Sobre a motivação para mais este homicídio em Florianópolis em 2018, Ênio diz que ainda é cedo para saber o que de fato ocorreu. O local do crime fica em uma região de pouco movimento no Santinho. Com mais este homicídio, Florianópolis já registra 24 mortes violentas nesses primeiros dias de 2018 (18 homicídios e seis mortes de pessoas em confronto com a polícia), de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina (SSP/SC).Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaCorpo de homem é encontrado nas dunas da Praia do Santinho, Norte da IlhaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-corpo-de-homem-e-encontrado-nas-dunas-da-praia-do-santinho-norte-da-ilha-10161630Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24080350Homem acaba preso após fugir da polícia, bater o carro e tentar escapar nadando em FlorianópolisOcorrência foi atendida pela PM em Coqueiros na tarde deste sábado2018-02-11T11:04:29-02:002018-02-11T11:04:29-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSReprodução / Facebook/ Floripa Mil GrauHomem acaba preso após fugir da polícia, bater o carro e tentar escapar nadando em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24080350Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-acaba-preso-apos-fugir-da-policia-bater-o-carro-e-tentar-escapar-nadando-em-florianopolis-10161493Homem acaba preso após fugir da polícia, bater o carro e tentar escapar nadando em FlorianópolisOcorrência foi atendida pela PM em Coqueiros na tarde deste sábado2018-02-11T11:04:29-02:002018-02-11T11:04:29-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma ocorrência inusitada chamou atenção dos foliões que aproveitavam o Carnaval na Beira-Mar continental, em Coqueiros, Florianópolis, na tarde de sábado. Conforme a Polícia Militar, que atendeu a ocorrência por volta das 16h, dois homem fugiram de carro após uma tentativa de abordagem da polícia e, na fuga, colidiram contra outro veículo. Um deles foi preso após a colisão, mas o segundo, que escapou, tentou fugir novamente, mas desta vez nadando. A PM precisou solicitar apoio ao corpo de bombeiros militar para capturar o homem. A reportagem entrou em contato com a Central de Polícia na manhã deste domingo para entender o que ocorreu, mas não havia detalhes da ocorrência, como, por exemplo, o motivo pelo qual os dois homens fugiram. Vídeos que circulam em redes sociais mostram o momento em que o homem é retirado da água por dois oficiais. Na areia, chama atenção o número de agentes da PM envolvidos na ocorrência. São, ao menos, nove policiais. Da calçada, diversas pessoas fantasiadas para o Carnaval acompanharam o desenrolar da ocorrência e chegaram a aplaudir a PM no fim.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem acaba preso após fugir da polícia, bater o carro e tentar escapar nadando em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-acaba-preso-apos-fugir-da-policia-bater-o-carro-e-tentar-escapar-nadando-em-florianopolis-10161493Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-onibus-e-incendiado-na-noite-de-quinta-feira-em-sao-jose-10160582Ônibus é incendiado na noite de quinta-feira em São JoséNenhuma pessoa foi ferida durante a ação2018-02-09T17:25:24-02:002018-02-09T17:25:24-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brDois homens incendiaram um ônibus da linha José Nitro, da Biguaçu Transportes, por volta das 21h30 na noite da última quinta-feira na Avenida das Torres, em São José. Segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar, eles ordenaram que todos os passageiros deixassem o veículo ao chegar próximo do ponto final. Após isso, pegaram uma garrafa com combustível e espalharam pelo ônibus, incendiando-o em seguida.A Polícia Militar (PM) acredita que a ocorrência foi retaliação a alguma operação, mas não soube precisar as circunstâncias. Os policiais receberam a descrição física dos criminosos e fizeram rondas pela região, mas não os encontrou. Nenhuma pessoa foi ferida durante a ação.Leia Mais:Mulheres morrem em acidente na BR-470, em Rio do SulPRF inicia Operação Carnaval nesta sexta-feiraVigilância está sem estoques de vacinas BCG e pentavalentePorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaÔnibus é incendiado na noite de quinta-feira em São JoséHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-onibus-e-incendiado-na-noite-de-quinta-feira-em-sao-jose-10160582Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-mulher-e-assassinada-a-tiros-em-estrada-isolada-da-vargem-grande-norte-da-ilha-10160478Mulher é assassinada a tiros em estrada isolada da Vargem Grande, norte da IlhaAté o início da tarde desta sexta-feira, ninguém foi preso pelo crime2018-02-09T15:06:42-02:002018-02-09T15:06:42-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma mulher, ainda não identificada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), foi assassinada a tiros em uma estrada de terra no bairro Vargem Grande, que dá acesso ao bairro Rio Vermelho, ambos no norte da Ilha, em Florianópolis. O corpo da vítima, encontrada com as mãos nos bolsos do moletom, estava em região de pouco movimento, com apenas algumas casas no entorno, e foi encontrado pela Polícia Militar (PM) por volta de 9h desta sexta-feira.Com mais este homicídio, Florianópolis já registra 23 mortes violentas nesses primeiros dias de 2018 (17 homicídios e seis mortes de pessoas em confronto com a polícia), de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina (SSP/SC). De acordo com o Centro de Operações da PM (Copom), testemunhas disseram ter ouvido disparos de arma de fogo por volta de 5h e contaram aos policiais que teriam visto um veículo da marca Fiat de cor branca deixando o local após os tiros. A vítima foi morta com pelo menos dois disparos de calibre ainda desconhecido. A motivação do crime ainda é desconhecida para a PM. O delegado Ênio Mattos, titular da Delegacia de Homicídios da Capital, pediu à reportagem que as ligações fossem retornadas mais tarde. Até o início da tarde desta sexta-feira, ninguém foi preso pelo homicídio.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaMulher é assassinada a tiros em estrada isolada da Vargem Grande, norte da IlhaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-mulher-e-assassinada-a-tiros-em-estrada-isolada-da-vargem-grande-norte-da-ilha-10160478Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24031236Caso de crianças esquartejadas no RS volta à estaca zero, diz políciaUma pessoa foi presa por falso testemunho e denunciação caluniosa nesta quarta-feira (7)2018-02-07T16:25:12-02:002018-02-07T16:25:12-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDivulgaçãoCaso de crianças esquartejadas no RS volta à estaca zero, diz políciaHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24031236Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-caso-de-criancas-esquartejadas-no-rs-volta-a-estaca-zero-diz-policia-10158699Caso de crianças esquartejadas no RS volta à estaca zero, diz políciaUma pessoa foi presa por falso testemunho e denunciação caluniosa nesta quarta-feira (7)2018-02-07T16:25:12-02:002018-02-07T16:25:12-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Polícia Civil afirma ter voltado à estaca zero na investigação sobre a morte de duas crianças encontradas esquartejadas em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, em setembro de 2017. Uma pessoa foi presa por falso testemunho e denunciação caluniosa nesta quarta-feira (7). Inicialmente, a polícia apontou que o assassinato de dois irmãos teria envolvido um ritual satânico em um templo em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre.A polícia, agora, aguarda uma decisão judicial em relação aos cinco suspeitos presos e aos outros dois foragidos. O que motivou a mudança no rumo das investigações foi uma acareação entre as testemunhas. Uma delas voltou atrás e agora afirma que foi coagida e que mentiu após ser pressionada. Uma entrevista coletiva será concedida pela Polícia Civil no final da tarde desta quarta para divulgar informações sobre o caso. O inquérito foi prorrogado em janeiro por 60 dias. Delegado Moacir Fermino afirmou na época que solucionou o crime por uma "revelação de Deus"Foto: Vanessa Kannenberg / Agencia RBSRevelações divinasNa época em que estava com o inquérito, o delegado Moacir Fermino disse ter tido "revelações divinas" de profetas, que teriam apontado inclusive quem deveria ser ouvido na investigação. O delegado Rogério Baggio, que reassumiu o caso em janeiro, pediu ao colega que informasse quem seriam, o que foi negado.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaCaso de crianças esquartejadas no RS volta à estaca zero, diz políciaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-caso-de-criancas-esquartejadas-no-rs-volta-a-estaca-zero-diz-policia-10158699Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:23918584Justiça atende apelo do Estado e autoriza 120 vagas excedentes no Complexo Penitenciário da CapitalJuiz havia determinado a transferência de presos por exceder limite, mas nova decisão ampliou a ocupação máxima na unidade2018-02-05T22:15:35-02:002018-02-05T22:15:35-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSMarco FaveroJustiça atende apelo do Estado e autoriza 120 vagas excedentes no Complexo Penitenciário da CapitalHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:23918584Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-justica-atende-apelo-do-estado-e-autoriza-120-vagas-excedentes-no-complexo-penitenciario-da-capital-10157190Justiça atende apelo do Estado e autoriza 120 vagas excedentes no Complexo Penitenciário da CapitalJuiz havia determinado a transferência de presos por exceder limite, mas nova decisão ampliou a ocupação máxima na unidade2018-02-05T22:15:35-02:002018-02-05T22:15:35-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma nova decisão judicial permitiu ao Estado manter presos além do limite de 1.254 vagas no Complexo Penitenciário de Florianópolis. Por determinação da juíza Taynara Goessel, publicada nesta segunda-feira, a administração do sistema prisional recebeu o direito de abrigar 120 detentos a mais do que a ocupação máxima até o próximo dia 31 de março.A permissão atende a um apelo da Secretaria do Estado da Justiça e Cidadania, que na semana passada foi obrigada a transferir os presos excedentes dentro de cinco dias. O juiz da Vara de Execução Penal, Rafael Condé, havia determinado a transferência de internos e a apuração de crime contra a administração pública e de ato de improbidade administrativa após constatar que o Estado não respeitava o limite de vagas imposto, que era de 1.254 internos.Em resposta, o Estado argumentou que a demanda por vagas no sistema prisional teve aumento significativo entre dezembro e janeiro, manifestando não existir alternativa para abrigar os novos detentos. A decisão de atender ao pedido e flexibilizar a ocupação máxima partiu da juíza Taynara Goessel porque o titular da Vara de Execução Penal, Rafael Condé, está em afastamento autorizado."A cidade de Florianópolis teve aumento considerável da população em razão do turismo e, consequentemente, também o incrimento dos índices de violência, o que afeta a demanda por vagas no sistema prisional", considerou a magistrada.Ela ainda observou que o pedido teve o aval do Ministério Público e que o chamado Grupo de Monitoramento e Fiscalização (GMF), ligado ao Tribunal de Justiça, também repassou orientação no sentido de flexibilizar a decisão que limitava o número de presos."Ressalto, contudo, que qualquer intercorrência ocorrida no estabelecimento prisional é de total responsabilidade do Poder Executivo, que assumiu expressamente que é capaz de absorver o contingente excedente, assegurando aos presos todos os seus direitos constitucionais", anotou a juíza.As vagas excedentes poderão ser ocupadas por detentos da Capital, de Palhoça, São José e Santo Amaro da Imperatriz.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaJustiça atende apelo do Estado e autoriza 120 vagas excedentes no Complexo Penitenciário da CapitalHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-justica-atende-apelo-do-estado-e-autoriza-120-vagas-excedentes-no-complexo-penitenciario-da-capital-10157190Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-no-meio-da-rua-no-rio-vermelho-no-norte-da-ilha-10156797Homem é morto a tiros no meio da rua no Rio Vermelho, no norte da IlhaA vítima, que ainda não foi identificada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), caminhava pela via em frente a um supermercado quando teria sido atacada por dois homens em uma bicicleta2018-02-05T18:16:46-02:002018-02-05T18:16:46-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem foi morto a tiros na rua Maurílio Nunes, no bairro Rio Vermelho, em Florianópolis, na tarde desta segunda-feira. A vítima, identificada como Diogo do Prado Nunes, de 20 anos, caminhava pela via em frente a um supermercado quando foi atacada por dois homens em uma bicicleta, de acordo com a Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). O homem foi atingido com diversos disparos de arma de fogo. Os autores fugiram com a bicicleta em direção à rodovia João Gualberto Soares, principal artéria do Rio Vermelho, no norte da Ilha. Até o momento, ninguém foi preso pelo crime, que aconteceu por volta de 15h30min desta segunda-feira.Procurado, o delegado Ênio Mattos disse não ter informações da ocorrência, que foi atendida por sua colega de distintivo, delegada Salete Mariano, que ainda não foi localizada pela reportagem. Com mais este caso, Florianópolis registra em 2018 ao menos 17 mortes violentas na cidade.Segundo informações do 21º Batalhão da PM, do norte da Ilha, Diogo do Prado Nunes tinha passagens por desobediência, resistência, dano contra o patrimônio público e organização criminosa.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é morto a tiros no meio da rua no Rio Vermelho, no norte da IlhaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-no-meio-da-rua-no-rio-vermelho-no-norte-da-ilha-10156797Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:23061037Vítimas de estelionato no norte da Ilha começam a prestar depoimentoSuspeito de golpe imobiliário foi preso em SP no ano passado, transferido para Santa Catarina e deve ser ouvido em março2018-02-04T17:37:54-02:002018-02-04T17:37:54-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSArquivo PessoalVítimas de estelionato no norte da Ilha começam a prestar depoimentoHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:23061037Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-vitimas-de-estelionato-no-norte-da-ilha-comecam-a-prestar-depoimento-10151945Vítimas de estelionato no norte da Ilha começam a prestar depoimentoSuspeito de golpe imobiliário foi preso em SP no ano passado, transferido para Santa Catarina e deve ser ouvido em março2018-02-04T17:37:54-02:002018-02-04T17:37:54-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brDiego Rodrigues Vieira Veras, 29 anos, preso e acusado de aplicar um golpe imobiliário em mais de 100 pessoas nos Ingleses em 2016, já tem data para ser ouvido pela Justiça: será no dia 12 de março. Na semana passada, começaram as audiências das vítimas no Fórum de Florianópolis. Somado, o prejuízo dos envolvidos chega a R$ 13 milhões, segundo as investigações.Preso em julho do ano passado num condomínio de luxo em Cotia, na Grande São Paulo, Diego foi transferido para o sistema penitenciário catarinense no dia 28 de janeiro. Em SP, de onde é natural, foi acusado por associação para o tráfico de drogas e formação de organização criminosa, fora o caso de estelionato no norte da Ilha.O processo referente ao crime do qual é suspeito em Florianópolis está na 3ª Vara Criminal, onde as audiências seguirão entre os meses de fevereiro e março. Já na área cível, dezenas de vítimas cobram indenização. A advogada Paula Farias defende 14 compradores de imóveis vendidos pelo acusado. Cada um perdeu, em média R$ 130 mil. Ela tenta o bloqueio de bens, como carros de luxo e imóveis do acusado. A advogada acredita que a transferência de Diego para Santa Catarina vai acelerar o processo.— A situação não é fácil. Muitos estão descrentes, são pessoas que gastaram tudo que arrecadaram ao longo de uma vida inteira. Então a gente, como advogado, tenta mostrar esperança de Justiça para que eles continuem o processo e sejam indenizados.Conforme a denúncia do Ministério Público, Diego iniciou em 2015 a construção de três condomínios nos Ingleses: Maritina, Zarah I e Zarah II. Depois, junto com a esposa e um terceiro envolvido, passou a alienar simultaneamente os apartamentos dos três prédios. Com intenção de lucro ilegal, sustenta o MP, em várias oportunidades os três venderam o mesmo apartamento para diferentes compradores. Há casos de uma única unidade ter sido comprada por oito pessoas."Ou seja, os denunciados venderam apartamentos que não lhes pertenciam como se donos fossem, e, em consequência, atingiram vultoso ganho ilícito", concluiu o promotor de Justiça Fernando Linhares da Silva Junior, da 3ª Promotoria da Capital.Por conta do atraso da obra, os compradores se reuniram em frente a um dos empreendimentos e descobriram a fraude.— Ele foi fazendo essas vendas, pegou automóveis e dinheiro em espécie como pagamento adiantado e depois sumiu — lamenta a advogada.O advogado de Diego, Charles Pergolado Keber, informou que só vai se manifestar em juízo.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaVítimas de estelionato no norte da Ilha começam a prestar depoimentoHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-vitimas-de-estelionato-no-norte-da-ilha-comecam-a-prestar-depoimento-10151945Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-projeto-de-nova-penitenciaria-federal-em-santa-catarina-enfrenta-dificuldades-10147566Projeto de nova penitenciária federal em Santa Catarina enfrenta dificuldadesApós ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, declarar desistência de construir unidade federal no Estado, nova área esbarra no desinteresse de prefeituras de Santa Catarina em terem cadeias em seus territórios2018-02-03T05:02:01-02:002018-02-03T05:02:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA desistência do Ministério da Justiça e Segurança Pública de construir uma penitenciária federal em Itajaí dividiu reações, mas expôs um cenário relevante: Santa Catarina perdeu a oportunidade de entrar na rota da segurança nacional. Mais: deixa ir embora um modelo de capacitação aos funcionários, melhorias em infraestrura, investimento em 600 empregos diretos e 1,2 mil indiretos, além de ter poucas credenciais para enviar presos catarinenses a carceragens de outras regiões.A Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC) reconhece a importância de o Estado fazer parte do sistema penitenciário nacional. Por isso se diz à disposição para ajudar na busca de outro terreno. Mas o futuro da unidade federal em SC esbarra justamente nessa procura. A secretaria enfrenta na Justiça disputas com quatro prefeituras catarinenses contrárias a construção de presídios estaduais, além de rejeições de outras cidades que não foram para o Judiciário. Os técnicos do sistema penitenciário nacional chegaram a visitar terrenos em Porto Belo e Itapema, mas, diferente do que ocorre em Itajaí, os prefeitos são contrários à proposta.– Porto Belo não tem interesse algum pela condição, somos uma cidade turística. A penitenciária afetaria a cidade. Não aceitamos nem com contrapartidas.O delegado aposentado da Polícia Federal e ex-diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap), Roberto Schweitzer, critica a resistência dos municípios em receber unidades prisionais. Além de colocar o Estado no cenário da segurança nacional, a nova estrutura deixaria SC em condições de ser protagonistas junto a outras regiões do país:– Se tivermos um presídio federal aqui, para a cidade onde ela for instalada, haverá vantagens econômicas, melhorias na segurança e teremos condições e moral para mandar nossos presos para outros lugares. Temos que parar com o preconceito de sermos contra presídios.Foram justamente as contrapartidas exigidas pela prefeitura de Itajaí e a necessidade de obras na região que afastaram o governo federal da intenção de construir na cidade. A unidade ficaria em um terreno próximo ao atual Complexo Prisional da Canhanduba, comunidade à margem da BR-101, perto do limite com Camboriú. O interesse foi do próprio ministério. A proximidade com o aeroporto de Navegantes ajudou por conta da necessidade de deslocamento constante de detentos.A região, no entanto, enfrenta um grave problema de acesso. Para deixar o complexo e seguir em sentido a Itajaí, o motorista precisa avançar oito quilômetros em direção a Balneário Camboriú para fazer o retorno. Um viaduto no local dependeria de recursos que o ministério não dispõe:– Foram consideradas questões do espaço geográfico, proximidade do porto, que traz movimento muito grande de pessoas, e obras nas vias de acesso para alargamentos de rodovias e viadutos que envolveriam outros ministérios– explicou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, na última terça-feira durante evento em Criciúma.Empregos diretos, indiretos e modelo de capacitaçãoPara o governo do Estado a decisão do ministério não afeta a oferta de vagas no sistema prisional local.– Essa é uma demanda federal, não influencia em nada o sistema prisional de Santa Catarina, nem vagas nesse presídio usaríamos. Fomos convidados a colaborar num processo para escolher uma cidade. Então apareceu Itajaí – explica Leandro Soares Lima, secretário-adjunto da SJC.A prefeitura de Itajaí ainda aguarda uma resposta oficial do governo federal para entender os motivos técnicos da desistência. O secretário de Segurança da cidade, Francisco José da Silva, defende a implantação da unidade. Policial federal há 30 anos, ele reconhece a importância da instalação do equipamento:– Temos um complexo penitenciário na cidade, que infelizmente está lotado, como os outros que existem em Santa Catarina. A vinda de uma unidade federal ia impor na região melhorias de segurança como o monitoramento de toda a área, além de trazer um modelo de capacitação para os funcionários. Além do investimento, seriam mais de 600 empregos diretos e 1,2 mil indiretos.Agora, com a negativa federal, Silva diz que não pretende apresentar novas opções de área. O que era a única opção viável levou as negociações à estaca zero e deixou o Estado mais longe de entrar no circuito nacional das penitenciárias FederaisO país tem quatro estruturas do mesmo modelo no Paraná, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul e Rondônia, além de uma quinta em construção em Brasília. Todas recebem presos de alta periculosidade. Em Porto Velho (RO), por exemplo, está Jarvis Pavão, narcotraficante condenado em Balneário Camboriú a 17 anos de prisão. Recentemente, ele foi extraditado do Paraguai sob forte esquema de segurança e levado para o Norte do país. Fernandinho Beira-Mar, conhecido criminoso carioca, também está na mesma cadeia. Nestes espaços, os ocupantes ficam em celas com Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) com apenas duas horas de banhos de sol por dia e o restante do tempo as grades FechadasA intenção do governo federal, anunciada em janeiro de 2017, é construir cinco novos projetos do mesmo modelo. Um deles ficará no Rio Grande do Sul, o segundo no Amazonas e o terceiro confirmado na Paraíba. Os outros dois ainda estão em aberto. Caso fosse confirmada, a penitenciária federal do litoral catarinense não seria destinada a presos catarinenses. Pela política de segurança, os detentos de alta periculosidade daqui são levados para outros Estados. O objetivo é evitar a proximidade do detento com sua região de origem. Nem mesmo a penitenciária de Catanduvas (PR) é utilizada por SC. Catarinenses foram levados para outras regiões em oportunidades como as ondas de atentados de 2013 e 2014.Penitenciárias federaisO Brasil tem quatro unidades prisionais federais em operação. Veja abaixo quais são:Penitenciária Federal de Catanduvas (PR)Foi primeira penitenciária federal do país. Criada em maio de 2006, notabilizou-se por receber diversos traficantes de drogas do Rio de Janeiro.Penitenciária Federal de Campo Grande (MS)Assim como Catanduvas, a penitenciária de Campo Grande foi idealizada para receber criminosos de alta periculosidade. O traficante catarinense Neném da Costeira ficou preso nessa unidade.Penitenciária Federal de Porto Velho (RO)Terceira penitenciária do tipo no País, possui uma área de 12,7 mil metros quadrados, divididos em quatro alas. A unidade recebeu presos catarinenses transferidos em 2014.Penitenciária Federal de Mossoró (RN)Última penitenciária federal construída no País, a unidade de Mossoró é a única do tipo na região Nordeste. Em 2013, presos de uma facção catarinense que comandou atentados em SC foram levados para esse local.Fonte: Ministério da Justiça e Segurança PúblicaO que impede a obra em itajaíSegundo o ministro da Justiça, Torquato Jardim, problemas técnicos motivaram a desistência da construção em Itajaí. Saiba detalhes:Espaço geográficoEm visita a Itajaí, em agosto de 2017, os técnicos do Ministério da Justiça analisaram áreas próximas ao Complexo Prisional da Canhanduba. Pelo menos dois terrenos teriam sido apresentados.Proximidade do portoOs terrenos visitados ficam a 20 quilômetros do porto de Itajaí e a 38 quilômetros do porto de Navegantes. O Estado e o município não foram informados dos problemas que o porto poderia trazer, mas o ministro alegou “grande movimento de pessoas”.Vias de acesso, alargamentos de rodovias e viadutosEsse é um dos principais problemas da região do atual complexo da Canhanduba. Para sair da comunidade pela BR-101, o primeiro retorno para quem pretende ir para Itajaí fica oito quilômetros para frente. O condutor precisa entrar num dos acessos e Balneário Camboriú para depois voltar. Uma das obras necessárias na região, e a que o ministro fez referência, é a construção de um viaduto no local.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaProjeto de nova penitenciária federal em Santa Catarina enfrenta dificuldadesHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-projeto-de-nova-penitenciaria-federal-em-santa-catarina-enfrenta-dificuldades-10147566Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24063922Ex-jogador da Chapecoense morre em acidente na BR-282, no Oeste de SCUma colisão na cidade de Maravilha resultou na morte de Fábio Azevedo, 41 anos2018-02-02T12:00:28-02:002018-02-02T12:00:28-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDivulgação / PRFEx-jogador da Chapecoense morre em acidente na BR-282, no Oeste de SCHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24063922Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-ex-jogador-da-chapecoense-morre-em-acidente-na-br-282-no-oeste-de-sc-10140296Ex-jogador da Chapecoense morre em acidente na BR-282, no Oeste de SCUma colisão na cidade de Maravilha resultou na morte de Fábio Azevedo, 41 anos2018-02-02T12:00:28-02:002018-02-02T12:00:28-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO ex-jogador da Chapecoense, Fábio Azevedo, 41, morreu em um acidente na madrugada desta sexta-feira, às 3h50min, no Km 604 da BR 282 em Maravilha. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o carro do ex-jogador invadiu a contramão e bateu de frente com um caminhão.Fábio morava em Maravilha e estava acompanhado pelo filho menor de idade no momento do acidente. Os dois foram conduzidos para o Hospital São José de Maravilha, que confirmou a morte do ex-jogador na manhã desta sexta-feira. O filho teve ferimentos leves e segue hospitalizado.Fábio Azevedo ou Fabinho Azevedo, como era conhecido, jogou na Chapecoense em 2003, 2004 e 2009, como atacante. Também defendeu outros dois clubes catarinenses, o Tubarão em 2002 e o Concórdia em 2011.Com dupla nacionalidade, Togo e Brasil, Fabinho jogou pela Seleção do Togo e também defendeu cinco clubes na temporada em El Salvador de 2005 a 2008.Atualmente, o ex-jogador organizava competições nas categorias de base e morava com a família no Oeste do Estado.Fábio Azevedo jogou na Chapecoense em 2003, 2004 e 2009Foto: Divulgação / PRFLeia também:55 pessoas morreram em 20 dias nas rodovias de SCNSC Comunicação faz mapeamento da violência nas estradas de SCNSC promove debate sobre a violência nas estradasPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaEx-jogador da Chapecoense morre em acidente na BR-282, no Oeste de SCHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-ex-jogador-da-chapecoense-morre-em-acidente-na-br-282-no-oeste-de-sc-10140296Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-no-norte-da-ilha-em-florianopolis-10140158Homem é morto a tiros no Norte da Ilha, em FlorianópolisCorpo estava caído na entrada da comunidade Vila União, na Vargem do Bom Jesus2018-02-02T07:26:50-02:002018-02-02T07:26:50-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem foi assassinado a tiros na madrugada desta sexta-feira no Norte da Ilha, em Florianópolis. O crime ocorreu na Estrada Anarolina Silveira Santos, na Vila União, no Bairro Vargem do Bom Jesus. A Polícia Militar (PM) foi chamada às 3h30min.A vítima é um homem de 51 anos. De acordo com a PM, os suspeitos de matá-lo estavam em um veículo. O corpo dele foi encontrado na entrada da comunidade. Junto estavam 18 cápsulas da calibre 9 mm e uma munição do mesmo calibre intacta.O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da Capital. O assassinato será investigado pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é morto a tiros no Norte da Ilha, em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-no-norte-da-ilha-em-florianopolis-10140158Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-apos-3-anos-solucionado-caso-de-argentino-assassinado-no-norte-da-ilha-10139535Após 3 anos, solucionado caso de argentino assassinado no norte da IlhaDupla matou estrangeiro e passou a extorquir a esposa da vítima como se ele estivesse sequestrado 2018-02-01T18:19:10-02:002018-02-01T18:19:10-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brFoi solucionado pela Polícia Civil nesta quinta-feira (1º) o caso do assassinato e falso sequestro do argentino Rafael Adalberto Mahia, de 33 anos, ocorrido três anos atrás no Rio Vermelho, no norte de Florianópolis. Exame de DNA realizado pelo Instituto Geral de Perícias confirmou a identidade da vítima.Conforme a investigação, no dia 1º de março, quando Rafael desapareceu, a esposa dele começou a ser extorquida. Ela passou a receber ligações e mensagens exigindo o pagamento de R$ 160 mil para que pudesse ver o marido de novo. A mulher informou o desaparecimento à polícia apenas no final de março, quando os contatos pararam. O caso movimentou a Divisão de Roubos e Antissequestro (Dras) da Deic.De acordo com o titular da divisão, Anselmo Cruz, a investigação identificou que Rafael atuava intensamente no tráfico de drogas do norte da Ilha. Ele havia sido visto pela ultima vez junto com um homem conhecido apenas como Rasta.Os restos mortais da vítima foram encontrados pela Polícia Civil em agosto do ano passado no terminal Lacustre. Rasta foi identificado como Luiz Horacio Castilhos e preso pela equipe da Dras em Porto Alegre no mesmo mês. Ele também é argentino, tem 42 anos e segundo o delegado Alsemo, analfabeto e sem qualquer documento no Brasil, apesar de viver no país há 25 anos.O outro envolvido na morte é Guilherme de Oliveira Dorneles, de 28 anos, preso em setembro em Florianópolis. Foi esclarecido pela investigação que os dois estavam sendo ameaçados por Rafael a pagar dívidas do tráfico de drogas.Por causa dessas cobranças, após uma briga dentro do carro de Rafael, os dois sacaram a arma dele e o mataram com um tiro. Depois esconderam o corpo na estrada de acesso ao terminal lacustre, ainda no dia 1º de março de 2015. Ao longo da investigação, foi encontrado sangue da vítima no carro dele, que foi encontrado na Praia do Santinho.E mesmo com Rafael morto, a dupla tentou extorquir dinheiro da esposa viúva. Os dois foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e extorsão, e estão presos preventivamente aguardando o julgamento.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaApós 3 anos, solucionado caso de argentino assassinado no norte da IlhaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-apos-3-anos-solucionado-caso-de-argentino-assassinado-no-norte-da-ilha-10139535Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-em-palhoca-10139235Homem é morto a tiros em PalhoçaHomicídio foi o terceiro registrado na Grande Florianópolis na noite de quarta-feira2018-02-01T11:52:37-02:002018-02-01T11:52:37-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem de 49 anos foi morto a tiros na noite de quarta-feira no bairro Brejarú, em Palhoça. O crime ocorreu por volta de 23h40min e nenhum suspeito foi localizado até a manhã desta quinta.Conforme a Polícia Militar, a vítima era motorista de aplicativo de transporte. Ele e a mulher estavam em casa quando um homem chamou o motorista pelo apelido, solicitando uma corrida em seguida.A mulher relatou à PM que, de dentro de casa, ouviu o carro ser ligado e depois tiros serem disparados. A vítima foi encontrada sem vida ao volante e o homem que pediu a corrida fugiu.A motivação do crime será investigada e a polícia não confirmou a identidade da vítima.Este foi o terceiro homicídio registrado na Grande Florianópolis na noite de quarta. Os outros dois foram na Capital; um no Centro, após a vítima ser perseguida por duas pessoas encapuzadas, e outro às margens da SC-401, no bairro João Paulo, onde um policial de folga reagiu a um assalto a uma pizzaria e matou um suspeito.Leia todas as notícias do Diário CatarinensePorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é morto a tiros em PalhoçaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-em-palhoca-10139235Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-em-palhoca-10139234Homem é morto a tiros em PalhoçaHomicídio foi o terceiro registrado na Grande Florianópolis na noite de quarta-feira2018-02-01T11:52:03-02:002018-02-01T11:52:03-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem de 49 anos foi morto a tiros na noite de quarta-feira no bairro Brejarú, em Palhoça. O crime ocorreu por volta de 23h40min e nenhum suspeito foi localizado até a manhã desta quinta.Conforme a Polícia Militar, a vítima era motorista de aplicativo de transporte. Ele e a mulher estavam em casa quando um homem chamou o motorista pelo apelido, solicitando uma corrida em seguida.A mulher relatou à PM que, de dentro de casa, ouviu o carro ser ligado e depois tiros serem disparados. A vítima foi encontrada sem vida ao volante e o homem que pediu a corrida fugiu.A motivação do crime será investigada e a polícia não confirmou a identidade da vítima.Este foi o terceiro homicídio registrado na Grande Florianópolis na noite de quarta. Os outros dois foram na Capital; um no Centro, após a vítima ser perseguida por duas pessoas encapuzadas, e outro às margens da SC-401, no bairro João Paulo, onde um policial de folga reagiu a um assalto a uma pizzaria e matou um suspeito.Leia todas as notícias do Diário CatarinensePorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é morto a tiros em PalhoçaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-em-palhoca-10139234Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24061633Policial de folga reage a assalto em pizzaria de Florianópolis e mata um suspeitoSoldado havia ido jantar quando três homens entraram no estabelecimento e anunciaram o roubo2018-02-01T08:58:28-02:002018-02-01T08:58:28-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSLeo MunhozPolicial de folga reage a assalto em pizzaria de Florianópolis e mata um suspeitoHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24061633Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-policial-de-folga-reage-a-assalto-em-pizzaria-de-florianopolis-e-mata-um-suspeito-10139121Policial de folga reage a assalto em pizzaria de Florianópolis e mata um suspeitoSoldado havia ido jantar quando três homens entraram no estabelecimento e anunciaram o roubo2018-02-01T08:58:28-02:002018-02-01T08:58:28-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brNa noite de quarta-feira, 31, por volta das 22h, um policial militar que estava de folga reagiu a uma tentativa de assalto em uma pizzaria que fica nas margens da rodovia SC-401, no bairro João Paulo, em Florianópolis, e matou um dos suspeitos.De acordo com informações da PM, um soldado havia ido jantar no local quando três homens armados entraram no estabelecimento e anunciaram o roubo. O policial tentou dar voz de prisão aos suspeitos, mas um deles atirou e deu-se início a um confronto armado.Os assaltantes conseguiram fugir da pizzaria, mas a poucos metros dali um dos suspeitos foi encontrado caído no trevo do João Paulo, em óbito. A Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias foram acionados e dão seguimento ao caso.Leia mais notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaPolicial de folga reage a assalto em pizzaria de Florianópolis e mata um suspeitoHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-policial-de-folga-reage-a-assalto-em-pizzaria-de-florianopolis-e-mata-um-suspeito-10139121Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-corpo-e-encontrado-apos-incendio-em-casa-na-grande-florianopolis-10138130Corpo é encontrado após incêndio em casa na Grande FlorianópolisSocorristas não puderam identificar o sexo da vítima que estava completamente carbonizada2018-01-31T07:34:19-02:002018-01-31T07:34:19-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm corpo foi encontrado após um incêndio atingir uma casa em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O caso ocorreu no início da madrugada desta quarta-feira (31), por volta de 00h19min, na Rua João Joaquim, no bairro Fazenda de Dentro. Segundo a Polícia Militar, os bombeiros foram acionados para conter as chamas e encontraram o corpo carbonizado. O sexo da vítima só pode ser constatado no IML e trata-se de um homem. Há uma possibilidade de identificação, mas ainda não foi confirmado pelo Instituto Geral de Perícias. A Polícia Civil foi acionada para investigar o caso, uma vez que não se sabe se foi um acidente ou incêndio criminoso. Leia maisJustiça dá 5 dias para que presos excedentes sejam transferidosMás condições dos ônibus em Palhoça geram denúnciaInternet, lanchonete e estacionamento têm piores notas no Hercílio LuzPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaCorpo é encontrado após incêndio em casa na Grande FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-corpo-e-encontrado-apos-incendio-em-casa-na-grande-florianopolis-10138130Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-mata-a-mulher-e-depois-comete-suicidio-em-florianopolis-10136804Homem mata a mulher e depois comete suicídio em Florianópolis 2018-01-29T20:32:46-02:002018-01-29T20:32:46-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem matou a esposa e depois cometeu suicídio na tarde desta segunda-feira, no Morro da Caixa, em Capoeiras, região continental de Florianópolis. As mortes ocorreram dentro da casa em que ambos moravam. De acordo com o major Sandro Dutra, subcomandante do 22º Batalhão de Polícia Militar (BPM), o homem matou a mulher a facadas e depois tirou a própria vida também com a faca. Conforme o delegado Ênio Matos, da Delegacia de Homicídios da capital, declarou ao G1 Santa Catarina, por volta das 14h, um vizinho viu o momento do crime após uma briga do casal e chamou a polícia."Ele era depressivo e eles brigavam muito por causa disso. Hoje, o vizinho viu os dois discutindo e quando ele matou a mulher com uma faca e depois se matou usando a mesma arma", disse Matos. Segundo ele, não havia registros de ocorrência da mulher contra o companheiro.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem mata a mulher e depois comete suicídio em Florianópolis Hora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-mata-a-mulher-e-depois-comete-suicidio-em-florianopolis-10136804Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-espancado-e-assaltado-em-ponto-de-onibus-na-sc-401-em-florianopolis-10136363Homem é espancado e assaltado em ponto de ônibus na SC-401, em FlorianópolisVítima teve ferimentos no rosto, nas costas e nas pernas e foi encaminhado para o Hospital Universitário2018-01-29T09:49:24-02:002018-01-29T09:49:24-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem que estava em um ponto de ônibus embaixo do viaduto do bairro João Paulo, nas margens da rodovia SC-401, em Florianópolis, foi agredido e assaltado por outros três homens por volta da 1h desta segunda-feira, 29. Ele teve ferimentos no rosto, nas costas e nas pernas. Celular, carteira e relógio foram roubados pelos assaltantes que fugiram sem deixar pistas.De acordo com o Centro de Operações da Polícia Militar de Santa Catarina (Copom), a vítima foi identificada como Luciano Luiz Nascimento, de 42 anos. Ele foi atendido no local pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Hospital Universitário. Por ter sido pego de surpresa e bastante machucado, não conseguiu descrever os criminosos para a polícia.Leia mais notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é espancado e assaltado em ponto de ônibus na SC-401, em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-espancado-e-assaltado-em-ponto-de-onibus-na-sc-401-em-florianopolis-10136363Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-jovem-e-preso-suspeito-de-estuprar-mulher-em-chapeco-10135840Jovem é preso suspeito de estuprar mulher em ChapecóCrime aconteceu na manhã deste domingo. Suspeito teria tentado roubar celular da vítima antes do estupro2018-01-28T15:11:33-02:002018-01-28T15:11:33-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem de 18 anos foi preso suspeito de estuprar uma mulher na manhã deste domingo, 28, em Chapecó, no Oeste catarinense. O suspeito teria tentado roubar o celular da vítima, depois a agrediu e a estuprou. A mulher, de 55 anos, que também sofreu uma lesão leve no braço, foi hospitalizada. As informações são do G1 SC.O caso ocorreu por volta das 7h30min, no bairro Cristo Rei. A vítima relatou à Polícia Militar que foi abordada na rua pelo desconhecido enquanto caminhava até a casa da filha. O rapaz tentou roubar o celular, mas como o aparelho era velho, o suspeito deu uma paulada em um dos braços da mulher e a jogou em uma valeta. Depois, tirou a bermuda dela e a estuprou, fugindo em seguida. A mulher foi socorrida pelos bombeiros e levada ao hospital. A polícia realizou buscas e encontrou um suspeito de 18 anos no bairro Lajeado São José, que foi reconhecido pela vítima, segundo a Polícia Civil. Ele foi detido na Central de Polícia por lesão corporal e tentativa de roubo e não tem passagens pela polícia. O preso nega o crime.— Estamos colhendo informações para decidir se ele fica preso pelo estupro também. Estamos em diligências atrás de mais provas — informou o delegado que investiga o caso, Luiz Shaefer, da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami).Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaJovem é preso suspeito de estuprar mulher em ChapecóHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-jovem-e-preso-suspeito-de-estuprar-mulher-em-chapeco-10135840Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-adolescente-e-morto-a-tiros-em-uma-lateral-da-br-280-em-araquari-10135824Adolescente é morto a tiros em uma lateral da BR-280, em AraquariCrime aconteceu por volta das 10h50 deste sábado, próximo ao km 27 no bairro Icaraí2018-01-28T14:12:52-02:002018-01-28T14:12:52-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm adolescente de 16 anos foi morto a tiros neste sábado em Araquari, na região Norte de Santa Catarina. Segundo os Bombeiros Voluntários, o crime ocorreu por volta das 10h50, em uma lateral da BR-280, próximo ao km 27, no bairro Icaraí.Ainda conforme os bombeiros, o adolescente estava em uma bicicleta às margens da rodovia quando foi atropelado por um carro. Em seguida, o motorista saiu do veículo atirando contra o menor. Os tiros o atingiram nas costas, no peito e na cabeça. Quando as equipes dos bombeiros chegaram ao local, a vítima já estava sem os sinais vitais.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaAdolescente é morto a tiros em uma lateral da BR-280, em AraquariHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-adolescente-e-morto-a-tiros-em-uma-lateral-da-br-280-em-araquari-10135824Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-quatro-pessoas-sao-presas-com-drogas-na-sc-401-em-florianopolis-10135804Quatro pessoas são presas com drogas na SC-401, em FlorianópolisAs prisões e apreensões ocorreram na manhã deste domingo, 28, durante abordagem da PMRv2018-01-28T12:35:29-02:002018-01-28T12:35:29-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Polícia Militar Rodoviária (PMRv) prendeu na manhã deste domingo, 28, quatro pessoas em um veículo com drogas e dinheiro. A ocorrência foi no posto da PMRv, no Km 9.700 da rodovia SC-401, bairro Ratones, no norte da Ilha.Um Gol com placas de Fazenda Rio Grande, no Paraná, foi abordado pelos policiais por das 9h. Segundo informações da PMRv, durante revista no veículo, foram encontrados 88 comprimidos de ecstasy, cinco gramas de cocaína e 1,5 gramas de MD – substância pura da cocaína. A droga estava escondida do forro do teto do carro, próximo ao para-brisa. Com o motorista, um homem de 25 anos, e os passageiros, sendo dois homens de 27 e 24 anos, e uma mulher de 29, foram encontrados R$ 416 em dinheiro. Como nenhum dos envolvidos assumiu a posso das drogas, todos foram levados para a delegacia por tráfico. Com a mulher ainda foram achados R$ 658 em dinheiro guardado nas partes íntimas.Leia mais notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaQuatro pessoas são presas com drogas na SC-401, em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-quatro-pessoas-sao-presas-com-drogas-na-sc-401-em-florianopolis-10135804Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-bando-invade-comunidade-no-monte-cristo-ateia-fogo-em-casa-e-mata-um-homem-a-tiros-10135415Bando invade comunidade no Monte Cristo, ateia fogo em casa e mata um homem a tirosInvasão aconteceu por volta das 6h30 deste sábado2018-01-27T09:24:39-02:002018-01-27T09:24:39-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brNo início da manhã deste sábado, 27, a comunidade Novo Horizonte, no Monte Cristo, em Florianópolis, viveu momentos de terror. De acordo com a Central de Operações da Polícia Militar (Copom), por volta das 6h30 um bando armado invadiu a comunidade, ateou fogo em uma casa e fez vários disparos. Um homem foi baleado nas costas e levado para o Hospital Florianópolis, outro foi assassinado na Rua dos Cedros. Ninguém se feriu no incêndio.Segundo o major Rodrigo Carlos Dutra, subcomandante do 22º Batalhão de Polícia Militar (BPM), uma guarnição da PM fazia o patrulhamento rotineiro quando se deparou com o grupo de criminosos. Na sequência, houve troca de tiros.— Houve confronto armado. Depois, na quadra da localidade conhecida como "carandiru", um homem foi encontrado morto. Também encontraram um coquetel molotov na casa incendiada. A ocorrência está em andamento e a vítima ainda não foi identificada. O caso foi repassado à Delegacia de Homicídios da Capital, que conta com a colaboração de peritos do Instituto Geral de Perícia.Leia mais notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaBando invade comunidade no Monte Cristo, ateia fogo em casa e mata um homem a tirosHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-bando-invade-comunidade-no-monte-cristo-ateia-fogo-em-casa-e-mata-um-homem-a-tiros-10135415Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24051688Delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina deixará o cargoArtur Nitz pretende fazer uma transição da função para o delegado-geral adjunto, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, mas decisão será de futuro secretário2018-01-26T15:58:20-02:002018-01-26T15:58:20-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSBetina HumeresDelegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina deixará o cargoHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24051688Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-delegado-geral-da-policia-civil-de-santa-catarina-deixara-o-cargo-10134573Delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina deixará o cargoArtur Nitz pretende fazer uma transição da função para o delegado-geral adjunto, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, mas decisão será de futuro secretário2018-01-26T15:58:20-02:002018-01-26T15:58:20-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO comando da Polícia Civil de Santa Catarina terá uma troca nas próximas semanas. Artur Nitz, delegado-geral da instituição, deixará a função depois de três anos. Apesar de não falar oficialmente sobre isso, nos bastidores ele articula a saída para o mês de fevereiro. Em seu lugar, Nitz pretende deixar Marcos Flávio Ghizoni Júnior, atual delegado-geral adjunto, em um transição amigável.A avaliação do atual chefe da Polícia Civil, segundo fonte ouvida pelo DC, é que o tempo dele no cargo terminou e que chegou a hora de o posto ter um novo fôlego. Por isso acredita que Ghizoni seja a pessoal ideal para assumir a delegacia-geral. Nitz pretende voltar a trabalhar na região Itajaí, de onde é oriundo.O aval final ao nome do novo comandante será do vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB). Ele assume o governo do Estado em 16 de fevereiro, quando pretende ter o secretariado redefinido. Nesta manhã de sexta, Moreira demonstrou surpresa com a saída de Nitz, pois disse gostar do trabalho dele.Pinho Moreira confirma saída de GrubbaPara a substituição na Polícia Civil, no entanto, o peemedebista pretende ouvir o futuro secretário de Segurança Pública do Estado (SSP). Cesar Grubba, atual ocupante do cargo, deve mesmo deixar a função. Nos bastidores da SSP foi ventilada a possibilidade de ele permanecer na função e desistir da ideia de concorrer a deputado estadual.Mesmo que desista, Grubba será substituído por Pinho Moreira. Quem ficará no seu lugar ainda não está definido, mas o futuro governador já definiu que pretende colocar outra pessoa na pasta: "Tem que ser uma pessoa que una Ministério Público, Tribunal de Justiça...", disse nesta sexta. O ex-desembargador Nelson Schaeffer Martins é um dos nomes que teriam sido procurados. O atual secretário-adjunto da SSP, Aldo Pinheiro D'Ávila também é candidato ao posto.Mudança na PM depende do novo secretárioA troca no comando-geral também depende da chegada do novo secretário da SSP. Três nomes foram confirmados pelo vice-governador como favoritos: coronel Araújo Gomes, atual subcomandante da PM, Cosme Manique Barreto, comandante da PM na região de Criciúma, e Norberto Souza filho, comandante da Polícia Militar Rodoviária (PMRv). Pinho já conversou com os três postulantes, mas espera o futuro secretário para a definição.Justiça e Cidadania também terá trocaOutra pasta do governo do Estado ligada à segurança pública terá troca no comando. A secretária de Justiça e Cidadania (SJC), Ada de Luca, vai sair do cargo para concorrer à reeleição na Assembleia Legislativa (Alesc). O favorito ao posto é Leandro Soares Lima, atual secretário-adjunto.Pinho Moreira, no entanto, ainda não confirma. Elogiou Lima durante discurso em um evento nesta sexta-feira no CIC, na Capital, mas em entrevista ao DC disse que ele "é um dos nomes" para assumir a pasta.Leia as últimas notícias do DCPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaDelegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina deixará o cargoHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-delegado-geral-da-policia-civil-de-santa-catarina-deixara-o-cargo-10134573Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24051645Polícia Civil prende suspeito de matar mulher em Santo Amaro da ImperatrizPrisão aconteceu na manhã desta sexta-feira, 26, em Palhoça. Vítima foi morta com um tiro na cabeça no dia 6 de janeiro2018-01-26T12:31:01-02:002018-01-26T12:31:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPolícia CivilPolícia Civil prende suspeito de matar mulher em Santo Amaro da ImperatrizHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24051645Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-policia-civil-prende-suspeito-de-matar-mulher-em-santo-amaro-da-imperatriz-10134404Polícia Civil prende suspeito de matar mulher em Santo Amaro da ImperatrizPrisão aconteceu na manhã desta sexta-feira, 26, em Palhoça. Vítima foi morta com um tiro na cabeça no dia 6 de janeiro2018-01-26T12:31:01-02:002018-01-26T12:31:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Polícia Civil de Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, prendeu na manhã desta sexta-feira, 26 de janeiro, um homem de 26 anos suspeito de matar uma mulher no início deste ano. A vítima foi assassinada com um tiro na cabeça no dia 6 de janeiro. O crime teria sido motivado por desentendimentos relacionados ao tráfico de drogas.O cumprimento dos mandados de prisão e busca e apreensão foi na casa de familiares do suspeito, na Praia do Sonho, em Palhoça. Na residência ainda foram apreendidos uma pequena quantidade de drogas e objetos que comprovam a participação do suspeito no crime, como relógio, bermuda e dois capacetes. A moto utilizada no dia do homicídio também foi localizada, mas não chegou a ser apreendida. O delegado Rodrigo Mayer informa que o suspeito negou a participação no crime e afirma que não conhecia a vítima. — Porém, todos os indícios apontam para ele. Agora estamos em busca da arma e na identificação de pessoas que possam ter tido alguma participação. Mas isso não impede o indiciamento dele por homicídio duplamente qualificado — explica o delegado. O crimeSegundo o delegado Mayer, a vítima tinha 22 anos, era usuária de drogas e morava com os pais em Palhoça. No dia 6 de janeiro o corpo dela foi encontrado por populares próximo à cachoeira da Cobrinha de Ouro, no bairro Braço do São João, em Santo Amaro da Imperatriz. A vítima foi morta com um tiro na cabeça.Durante as investigações, a polícia conseguiu imagens de segurança que mostram o suspeito e a vítima em uma moto indo até a cachoeira. Momentos depois, a mesma moto aparece retornando, mas com apenas uma pessoa. Segundo o delegado, pelas imagens foi possível ver o relógio e a roupa que o suspeito usava, além das tatuagens. — As informações que temos é que ele montou uma emboscada para a vítima. Ele teria convidado ela para consumir drogas naquele local e ela foi voluntariamente, mas foi uma emboscada. O possível autor do crime foi preso temporariamente por 30 dias. O delegado deve concluir o inquérito nos próximos dias e pretende indiciar o suspeito por homicídio duplamente qualificado. Os nomes da vítima e suspeito não foram divulgados.Leia maisMorta há pelo menos quatro dias, mulher é encontrada em apartamento em SCPrefeitura de Florianópolis vai rever retirada do desconto da taxa de coleta de lixo para estabelecimentos comerciaisLeia outras notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaPolícia Civil prende suspeito de matar mulher em Santo Amaro da ImperatrizHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-policia-civil-prende-suspeito-de-matar-mulher-em-santo-amaro-da-imperatriz-10134404Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:17514462VÍDEO: detentos fogem da Penitenciária da Agronômica na tarde desta quinta-feiraUm dos homens foi recapturado pouco depois de fugir; outro conseguiu escapar2018-01-25T18:11:51-02:002018-01-25T18:11:51-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSGuto KuertenVÍDEO: detentos fogem da Penitenciária da Agronômica na tarde desta quinta-feiraHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:17514462Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-video-detentos-fogem-da-penitenciaria-da-agronomica-na-tarde-desta-quinta-feira-10133711VÍDEO: detentos fogem da Penitenciária da Agronômica na tarde desta quinta-feiraUm dos homens foi recapturado pouco depois de fugir; outro conseguiu escapar2018-01-25T18:11:51-02:002018-01-25T18:11:51-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brDois homens fugiram da Penitenciária da Agronômica, em Florianópolis, em plena tarde desta quinta-feira (25). Um dos detentos saiu correndo pelo portão principal do prédio. Ele foi recapturado poucos metros depois, em uma casa no Morro do Horácio. Outro criminoso conseguiu escapar pelos fundos, onde cortava grama. Ele também foi em direção ao Morro do Horácio e está foragido.Conforme a Secretaria de Justiça e Cidadania, Daniel Rigon, de 39 anos, natural de Curitibanos, fugiu do regime semiaberto. E Robson José da Luz, de 19, natural de São José, foi recapturado.A ação foi filmada por um funcionário de uma empresa de tecnologia que fica num edifício em frente à penitenciária. Segundo ele, que prefere não divulgar identidade, a fuga aconteceu às 15h.— Eu vi uma movimentação estranha. Fui ver da janela e aí vi um cara com a camisa verde do presídio correndo na rua. Ele tirou a camisa e continuou correndo em direção ao morro. Os guardas começaram a sair do presídio. Depois passou uma viatura aí foi pra trás (da janela) e eu não consegui mais ver.Confira o vídeo do momento da fuga:Disparo de arma de fogoOutro funcionário da mesma empresa, que fica em uma sala com visão melhor da rua Delminda Silveira, conta que logo depois saiu da penitenciária um carro branco. Segundo a testemunha, na captura do fugitivo, agentes disparam com arma de fogo e entraram em uma casa no Morro do Horácio.— Vi que essa viatura parou em uma casa no Horácio. Esses dois policiais pularam o muro e efetuaram um disparo, e lá dentro pegaram um preso e trouxeram de volta.A Penitenciária Estadual de Florianópolis conta hoje com 1.110 presos. A capacidade é de 1.090. Dentro de seis meses há previsão de ampliação para 400 novas vagas. No ano passado, pelo menos cinco presos fugiram da Penitenciária da Agronômica. Três em abril, quando renderam um agente. E outros dois, naturais do Rio Grande do Sul, em janeiro.Nota de DeapNo final da tarde desta quinta-feira (25), a Secretaria de da Justiça divulgou a seguinte nota:A Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC) informa que o detento Daniel Rigon, 39 anos, natural de Curitibanos, fugiu do regime semiaberto do Complexo Penitenciário da Capital na tarde desta quinta-feira, 25; e que o detento Robson José da Luz, 19 anos, natural de São José, empreendeu tentativa de fuga mas foi recapturado. As polícias Civil e Militar já foram acionadas e o Departamento de Administração Prisional (Deap) e a Corregedoria da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC) estão investigando as circunstâncias da fuga e foram instauradas medidas legais e periciais para apurar as responsabilidades.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaVÍDEO: detentos fogem da Penitenciária da Agronômica na tarde desta quinta-feiraHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-video-detentos-fogem-da-penitenciaria-da-agronomica-na-tarde-desta-quinta-feira-10133711Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-baleado-no-rio-vermelho-em-florianopolis-e-socorrido-pelos-bombeiros-10131749Homem baleado no Rio Vermelho, em Florianópolis, é socorrido pelos bombeirosCrime aconteceu na manhã desta quinta-feira, 25. Vítima relatou que foi atingida durante um assalto2018-01-25T10:26:50-02:002018-01-25T10:26:50-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem foi baleado na manhã desta quinta-feira, 25 de janeiro, na Servidão dos Anjos e Arcanjos, no bairro Rio Vermelho, no norte da Ilha. Segundo informações dos bombeiros, a vítima informou que sofreu um assalto.A ocorrência foi por volta das 6h30. De acordo com os bombeiros, o homem estava caído na via com duas marcas de tiro. Apesar dos ferimentos, a vítima estava consciente e foi levada ao hospital Celso Ramos. A Polícia Militar informa que foi chamada para verificar um homem baleado que deu entrada no hospital, mas ainda não foi confirmado se é a mesma pessoa assaltada no Rio Vermelho.Leia maisCorpo carbonizado é encontrado dentro de carro abandonado em FlorianópolisHomem é morto a tiros no Norte da IlhaDois pedestres morrem atropelados em rodovias na Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem baleado no Rio Vermelho, em Florianópolis, é socorrido pelos bombeirosHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-baleado-no-rio-vermelho-em-florianopolis-e-socorrido-pelos-bombeiros-10131749Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-no-norte-da-ilha-10131147Homem é morto a tiros no Norte da Ilha Corpo foi encontrado na SC-403, no bairro Vargem do Bom Jesus2018-01-25T07:41:56-02:002018-01-25T07:41:56-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm homem foi encontrado morto na madrugada desta quinta-feira (25), no bairro Vargem do Bom Jesus, no Norte da Ilha. O crime ocorreu na altura do km 13 da SC-403. A vítima foi assassinada com disparos na cabeça. Um vigilante de um estabelecimento próximo encontrou o corpo e acionou a polícia por volta de 4h20min. A vítima ainda não foi identificada, pois não portava documentos. Leia maisCondenação de Lula esfria animação dos militantes acampadosCapital deve receber R$ 10 mi da União por prejuízos das chuvasChuva deixa 80 mil unidades sem luz em BlumenauPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é morto a tiros no Norte da Ilha Hora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-a-tiros-no-norte-da-ilha-10131147Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24044025Preso suspeito de contrabando de bebidas e cigarros no Sul da Ilha, em FlorianópolisHomem estava com quase R$ 20 mil em dinheiro vivo e levava dezenas de mercadorias paraguaias 2018-01-23T21:18:44-02:002018-01-23T21:18:44-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDivulgaçãoPreso suspeito de contrabando de bebidas e cigarros no Sul da Ilha, em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24044025Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-preso-suspeito-de-contrabando-de-bebidas-e-cigarros-no-sul-da-ilha-em-florianopolis-10129783Preso suspeito de contrabando de bebidas e cigarros no Sul da Ilha, em FlorianópolisHomem estava com quase R$ 20 mil em dinheiro vivo e levava dezenas de mercadorias paraguaias 2018-01-23T21:18:44-02:002018-01-23T21:18:44-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brFoi preso na tarde desta terça-feira no Ribeirão da Ilha, em Florianópolis, um homem suspeito de contrabandear cigarros e bebidas. Ele estava com quase R$ 20 mil em dinheiro vivo e transportava dezenas de mercadorias oriundas do Paraguai.Segundo a Polícia Militar, agentes do 4º Batalhão faziam rondas pela Rodovia Baldicero Filomeno, no sul da Ilha, quando abordaram uma camionete em atitude suspeita. Ao revistar o homem, os policiais encontraram o R$ 18.991 no bolso da bermuda. Dentro do carro, foram encontrados produtos de contrabando, que segundo a PM, foram adquiridos no país vizinho. Ele foi preso e o boletim de ocorrência encaminhado à polícia federal.Conforme a polícia, estavam na camionete 85 caixas de cigarro, duas garrafas de uísque, caixas de seda, eletrônicos e um bloqueador de sinal GPS. A camionete também foi apreendida.Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaPreso suspeito de contrabando de bebidas e cigarros no Sul da Ilha, em FlorianópolisHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-preso-suspeito-de-contrabando-de-bebidas-e-cigarros-no-sul-da-ilha-em-florianopolis-10129783Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24034896Homem é morto após roubar veículo e bater contra viatura da PMSegundo a polícia, assaltante morto teria atirado contra guarnição2018-01-20T09:19:25-02:002018-01-20T09:19:25-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPolícia Militar / DivulgaçãoHomem é morto após roubar veículo e bater contra viatura da PMHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24034896Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-apos-roubar-veiculo-e-bater-contra-viatura-da-pm-10123920Homem é morto após roubar veículo e bater contra viatura da PMSegundo a polícia, assaltante morto teria atirado contra guarnição2018-01-20T09:19:25-02:002018-01-20T09:19:25-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm roubo que ocorreu em São José, na Grande Florianópolis, na noite de sexta-feira (19) terminou com um suspeito morto na Capital. De acordo com a Polícia Militar, a dupla de assaltantes teria furado barreias da polícia e batido o carro roubado contra uma viatura do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT). O roubo ocorreu na rua São Pedro, no bairro Barreiros, por volta de 20h40min. Após informada do caso, a PM identificou o carro e passou a acompanhá-lo. O suspeito que estava dirigindo teria desobedecido às ordens de parada e bateu contra a viatura no bairro Monte Cristo, em Florianópolis. A PM diz que um deles atirou contra a guarnição com uma pistola 9mm e acabou alvejado. A vítima foi identificada como Oruan Machuca Bamberg e não teve a idade confirmada. O segundo suspeito foi preso. Leia maisNovo relatório aponta que 50,7% das praias de SC estão imprópriasGoverno envia ao Congresso projeto de lei para privatização da EletrobrasONG cria fundo para atingidos pela chuva na CapitalPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaHomem é morto após roubar veículo e bater contra viatura da PMHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-homem-e-morto-apos-roubar-veiculo-e-bater-contra-viatura-da-pm-10123920Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24032997"Dois minutos salvaram a minha vida", diz cliente sobre assalto com morte em São JoséCrime aconteceu na manhã desta sexta-feira, 19. Homens tentaram assaltar um carro-forte que abastecia caixas eletrônicos dentro de um supermercado2018-01-19T12:10:56-02:002018-01-19T12:10:56-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSRafael Thomé"Dois minutos salvaram a minha vida", diz cliente sobre assalto com morte em São JoséHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24032997Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-dois-minutos-salvaram-a-minha-vida-diz-cliente-sobre-assalto-com-morte-em-sao-jose-10122944"Dois minutos salvaram a minha vida", diz cliente sobre assalto com morte em São JoséCrime aconteceu na manhã desta sexta-feira, 19. Homens tentaram assaltar um carro-forte que abastecia caixas eletrônicos dentro de um supermercado2018-01-19T12:10:56-02:002018-01-19T12:10:56-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brClientes que estavam no supermercado Fort Atacadista, invadido por homens armados na manhã desta sexta-feira, 19 de janeiro, no bairro Areias, em São José, relatam o momento de pânico que foi durante a ocorrência. Quatro homens tentaram assaltar um carro-forte que abastecia caixas eletrônicos, houve troca de tiros com os seguranças do local e um dos assaltantes morreu.Ana Paula Pinheiro, de 42 anos, estava fazendo compras pouco antes do tiroteio dentro do estacionamento. Ela conta que estava indo embora quando voltou para pegar um pacote de macarrão que tinha esquecido. Estava no caixa quando ouviu os disparos.— Eu tava pagando e ouvi um tiroteio. Corremos para dentro do mercado, nos jogamos no chão, ficamos desesperados porque eram muitos tiros, todo mundo gritando. Quando acalmou eu saí e quando cheguei no meu carro vi que ele estava desse jeito — relata Ana apontando as marcas de tiro no veículo.— Era para eu estar no carro, voltei para pegar um macarrão, então foram dois minutos que me salvaram. Carro de Ana Paula foi atingido pelos disparosFoto: Cristiano Estrela / Diário CatarinenseO taxista Glauco Rodrigues da Silva, proprietário de um táxi que foi baleado, conta que estava ao lado do veículo e viu toda a ação.— Eu estava do lado quando vi quatro homens fortemente armados. Saí em direção à BR porque eu vi que eles estavam armados e começou o tiroteio. Só voltei quando já tava tudo calmo. A polícia, em questão de um ou dois minutos chegou e os seguranças reagiram, foi algo bem rápido. Leia mais notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa Catarina"Dois minutos salvaram a minha vida", diz cliente sobre assalto com morte em São JoséHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-dois-minutos-salvaram-a-minha-vida-diz-cliente-sobre-assalto-com-morte-em-sao-jose-10122944Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24032201Motorista que atropelou 17 no Rio não estava alcoolizado, aponta laudo do IMLHomem alega que sofre de epilepsia e que teve um ataque no momento do acidente. Condutor estava com a CNH suspensa desde 20142018-01-19T11:22:16-02:002018-01-19T11:22:16-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSAntonio ScorzaMotorista que atropelou 17 no Rio não estava alcoolizado, aponta laudo do IMLHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24032201Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-motorista-que-atropelou-17-no-rio-nao-estava-alcoolizado-aponta-laudo-do-iml-10122895Motorista que atropelou 17 no Rio não estava alcoolizado, aponta laudo do IMLHomem alega que sofre de epilepsia e que teve um ataque no momento do acidente. Condutor estava com a CNH suspensa desde 20142018-01-19T11:22:16-02:002018-01-19T11:22:16-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO motorista Antonio Almeida Anaquim, que atropelou 17 pessoas na noite desta quinta-feira (18) em Copacabana, não estava alcoolizado, de acordo com o resultado de exame feito pelo Instituto Médico-Legal (IML). Anaquim dirigia pela Avenida Atlântica e, por volta das 20h30min, invadiu o calçadão, matando um bebê e ferindo 16 pedestres. Segundo o próprio motorista, ele sofre de epilepsia e sofreu um ataque no momento em que dirigia. Policiais encontraram no veículo medicamentos utilizados para tratar a doença. Anaquim prestou depoimento na Delegacia de Copacabana (12ª DP). Em sua carteira de motorista, estão registradas 14 multas, que somam 62 pontos em infrações. Segundo o Departamento de Trânsito (Detran), Anaquim estava com a habilitação suspensa desde maio de 2014. De acorda com nota divulgada pelo Detran, o motorista não cumpriu a exigência de devolução da habilitação. Por ter cometido crime de trânsito e dirigido com a carteira suspensa, ele terá sua documentação cassada: " O Detran-RJ informa que o motorista Antonio de Almeida Anaquim, responsável pelo acidente na noite desta quinta-feira (18.01) na orla de Copacabana, está com a sua Carteira Nacional de Habilitação suspensa desde maio de 2014. No entanto, o cidadão não cumpriu com a exigência de devolução da CNH para realização de curso de reciclagem. Por cometer um crime de trânsito ao dirigir com a carteira suspensa, o cidadão terá sua documentação cassada, como determina a legislação federal de trânsito. Neste caso, o Detran esclarece que cumpriu com todo o trâmite do Código Brasileiro de Trânsito. O Detran-RJ, assim como toda a sociedade carioca, se solidariza com as vítimas deste acidente. " Leia mais:FOTOS: carro atropela pelo menos 17 pessoas na praia de Copacabana e mata bebê de oito mesesPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaMotorista que atropelou 17 no Rio não estava alcoolizado, aponta laudo do IMLHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-motorista-que-atropelou-17-no-rio-nao-estava-alcoolizado-aponta-laudo-do-iml-10122895Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-justica-faz-primeira-audiencia-do-caso-de-pms-acusados-de-matar-homem-na-capital-10122893Justiça faz primeira audiência do caso de PMs acusados de matar homem na CapitalDupla de policiais foi denunciada pelo MP sob a suspeita de ter matado um homem que estaria rendido2018-01-19T11:21:35-02:002018-01-19T11:21:35-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brSerá na próxima quarta-feira, as 14h, no Fórum da Capital, a primeira audiência de instrução e julgamento de dois policiais militares acusados de matar Fabrício Pires da Rosa, em 4 de novembro de 2016, no Morro do Horácio, na região do Bairro Agronômica. Segundo a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) aceita pela Justiça, a vítima estava rendida pelos PMs quando eles deram dois tiros no rapaz.Na época da morte, a versão oficial da PM dizia que a vítima tinha reagido e morrido em confronto na operação que buscava armas e drogas na comunidade onde dois meses antes o policial militar Vinicius Alexandre Gonçalves, 31 anos, morreu em serviço. O MP ofereceu denúncia contra os PMs baseado em depoimentos de testemunhas que indicam a morte da vítima já rendida por motivo torpe e sem chance de defesa.Nesta primeira audiência serão ouvidas duas testemunhas. Conforme a denúncia, os PMs dispararam um tiro cada um contra Fabrício quando este saiu de uma quitinete e se entregou com as mãos para cima. Depois, narra o documento da promotoria, os denunciados dispararam com um revólver calibre 32 e colocaram a arma na cena do homicídio e próximo ao corpo de Fabrício como suposta forma de justificar eventual reação.Em outubro do ano passado a Justiça aceitou a denúncia contra os policiais e ainda determinou que eles ficassem afastados da função. Neste mês de janeiro, eles tiveram negado o pedido para voltar a trabalhar. A defesa dos dois PMs pretende pedir absolvição sumária deles pelo entendimento de que as provas são fracas e não se sustentam. O advogado Eduardo Cleto Righetto acredita que as versões apresentadas são conflitantes.Leia mais notícias do DCPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaJustiça faz primeira audiência do caso de PMs acusados de matar homem na CapitalHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-justica-faz-primeira-audiencia-do-caso-de-pms-acusados-de-matar-homem-na-capital-10122893Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24032810Tentativa de assalto em São José termina com homem mortoCrime foi contra um carro-forte que abastecia caixas eletrônicos dentro de um supermercado do bairro Areias2018-01-19T10:01:40-02:002018-01-19T10:01:40-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSCristiano Estrela / Diário CatarinenseTentativa de assalto em São José termina com homem mortoHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24032810Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-tentativa-de-assalto-em-sao-jose-termina-com-homem-morto-10122824Tentativa de assalto em São José termina com homem mortoCrime foi contra um carro-forte que abastecia caixas eletrônicos dentro de um supermercado do bairro Areias2018-01-19T10:01:40-02:002018-01-19T10:01:40-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUm supermercado de uma rede atacadista foi invadido por quatro homens armados na manhã desta sexta-feira, 19 de janeiro. De acordo com funcionários do Fort Atacadista que fica no Shopping Ideal, no bairro Areias, em São José, e a Polícia Militar os criminosos invadiram o estabelecimento, renderam um segurança e tentaram assaltar um carro-forte por volta das 9h30. Houve troca de tiros com os vigilantes e um dos assaltantes morreu no local.Os assaltantes chegaram em uma Mercedes-Benz branca. Eles deixaram o veículo próximo à saída do estacionamento e foram até a agência bancária que fica dentro do mercado, onde um carro-forte fazia o abastecimento dos caixas eletrônicos. Um dos seguranças do carro-forte foi rendido, porém, outros vigilantes reagiram e atiraram de dentro da agência contra os criminosos.Durante a troca de tiro, um dos assaltantes foi atingido. Ele chegou a correr, mas caiu ainda no estacionamento do mercado. Ele foi atendido pela equipe do Samu, mas não resistiu e morreu no local. A vítima, de 34 anos, não teve o nome revelado pela Polícia Militar. Os outros três homens fugiram.Segundo o subcomandante do 7º Batalhão da Polícia Militar de São José, major Paulo Sérgio de Bona Portão, o veículo usado no assalto foi encontrado momentos após o crime abandonado na Rua Hidalgo Araújo, próximo a loja Havan, ainda em São José. O veículo, com placas de Belo Horizonte, tem registro de furto e marcas de sangue. No estacionamento do Shopping Ideal quatro veículos foram atingidos pelos disparos, sendo um táxi e três carros de clientes. O vidro da agência bancária também ficou estilhaçado.Ainda de acordo com o major, nada foi levado do carro-forte. Até a tarde desta sexta-feira nenhum suspeito havia sido preso.— Estamos fazendo buscas, já levantamos algumas informações e vamos repassar o caso para a Polícia Civil que já está investigando.Tentativa de assalto a carro-forte foi próxima a uma agência bancária dentro do supermercado Foto: Rafael Thomé / Diário CatarinenseLeia mais notícias da Grande FlorianópolisPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaTentativa de assalto em São José termina com homem mortoHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-tentativa-de-assalto-em-sao-jose-termina-com-homem-morto-10122824Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:23586640Governo de SC e Fatma encaminham solução para impasse do novo presídio de BiguaçuFicou acertado que a prefeitura encaminhará um documento indicando que não há outra alternativa de local para a obra, o que permitirá a construção por conta da utilidade pública2018-01-16T17:54:36-02:002018-01-16T17:54:36-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSCristiano EstrelaGoverno de SC e Fatma encaminham solução para impasse do novo presídio de BiguaçuHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:23586640Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-governo-de-sc-e-fatma-encaminham-solucao-para-impasse-do-novo-presidio-de-biguacu-10120099Governo de SC e Fatma encaminham solução para impasse do novo presídio de BiguaçuFicou acertado que a prefeitura encaminhará um documento indicando que não há outra alternativa de local para a obra, o que permitirá a construção por conta da utilidade pública2018-01-16T17:54:36-02:002018-01-16T17:54:36-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO governo do Estado e a a Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) encaminharam em reunião nesta terça-feira uma solução para o impasse envolvendo a construção de um presídio em Biguaçu. A audiência na sede da Fatma, em Florianópolis, teve a presença do secretário de Estado do Planejamento, Murilo Flores, de um dos técnicos do Escritório de Projetos de Santa Catarina (EPROJ-SC) e de servidores do órgão ambiental.O objetivo do encontro foi entender os motivos da negativa de licença ambiental para a construção do presídio. Conforme o secretário Murilo Flores, o que faltou foi um documento que indicasse que não há outra alternativa locacional para a obra que não seja naquele espaço, no Bairro Universitário, na chamada Vila da Segurança.Ficou acertado que o prefeito de Biguaçu Ramon Wollinger (PSD) vai produzir esse documento. Com ele, ficará caracterizado que é possível fazer intervenção no local mesmo sendo uma Área de Preservação Permanente (APP), por se tratar de um instrumento de utilidade pública e necessário para a segurança pública do Estado.— A Fatma nos afirmou que se protocolarmos o documento até a sexta-feira, na terça-feira seguinte, na reunião do Comitê de Licenciamento do órgão, a solicitação será aprovada e resolveremos o problema — declarou Flores.Quando negou o licenciamento ambiental para uma alteração de curso de água no terreno que receberá o novo presídio de Biguaçu, técnicos da Fatma alegaeam que a construção da unidade não se encaixava nos motivos para que sejam feitos reparos de "canalização e retificação de cursos d'água, ou mesmo suas regularizações". Elas só podem ser feitas, explicavam, "excepcionalmente em casos de utilidade pública, interesse social ou baixo impacto ambiental".Via assessoria de imprensa, a Fatma alegou outros motivos para a negativa. Segundo o órgão, 80% do terreno está dentro de uma Área de Preservação Permanente (APP).Leia todas as notícias do Diário CatarinensePorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaGoverno de SC e Fatma encaminham solução para impasse do novo presídio de BiguaçuHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-governo-de-sc-e-fatma-encaminham-solucao-para-impasse-do-novo-presidio-de-biguacu-10120099Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24022790Polícia Civil investiga sequestro de empresário no Oeste catarinense Vítima afirma ter ficado 18 horas amarrada em uma árvore após ter sido levada por criminosos2018-01-14T13:14:01-02:002018-01-14T13:14:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPolícia Civil / DivulgaçãoPolícia Civil investiga sequestro de empresário no Oeste catarinense Hora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24022790Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-policia-civil-investiga-sequestro-de-empresario-no-oeste-catarinense-10118330Polícia Civil investiga sequestro de empresário no Oeste catarinense Vítima afirma ter ficado 18 horas amarrada em uma árvore após ter sido levada por criminosos2018-01-14T13:14:01-02:002018-01-14T13:14:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Polícia Civil de Chapecó, no Oeste catarinense, investiga o sequestro de um empresário de 37 anos, que ficou amarrado numa árvore por cerca de 18 horas na zona rural de Concórdia. A vítima foi abordada por criminosos na manhã de sexta-feira (12) na SC-283, entre Chapecó e Arvoredo, e levada para o interior de Concórdia. Na manhã de sábado (13) o empresário conseguiu de soltar e pedir socorro para moradores da região.O delegado Rodrigo Moura informa que o caso é tratado como extorsão mediante sequestro. Por enquanto, a polícia sabe que, pelo menos, três pessoas participaram do crime. Outras informações e detalhes não podem ser divulgados para não atrapalhar as investigações. — Vamos ouvir a vítima novamente e precisamos do resultado de diligencias realizadas. Não posso divulgar informações sobre o que levou o fato e os suspeitos.O crime aconteceu na manhã de sexta-feira. Segundo o delegado, os familiares informaram que o empresário saiu de casa para trabalhar por volta das 8h. Às 10h eles não conseguiram mais contato com o homem e acionaram a polícia. Foi quando as investigações começaram.A vítima foi resgatada pelo helicóptero de Serviço Aeropolicial de Fronteira da Polícia Civil (Saer/Fron) na manhã de sábado. Em depoimento, o empresário informou que foi abordado por dois homens armados em uma moto na SC-283, que liga Chapecó a Arvoredo. Um deles entrou no carro da vítima e fez ela dirigir até uma região rural de Concórdia, próximo a uma casa abandonada.O homem foi abandonado amarrado a uma árvore, onde ficou cerca de 18 horas. No sábado, no amanhecer do dia, o empresário conseguiu se soltar e andou até encontrar um morador e pedir socorro. Ele foi resgatado e levado para Chapecó. A vítima apresentava ferimentos leves.Os criminosos roubaram apenas a carteira da vítima, com cartão de crédito e dinheiro. O veículo, um Gol branco, foi incendiado, assim como a casa abandonada.Leia também:Vigilante de posto troca tiros com criminoso durante tentativa de assalto em São JoséAutoria é definida em 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaPolícia Civil investiga sequestro de empresário no Oeste catarinense Hora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-policia-civil-investiga-sequestro-de-empresario-no-oeste-catarinense-10118330Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-vigilante-de-posto-troca-tiros-com-criminoso-durante-tentativa-de-assalto-em-sao-jose-10118287Vigilante de posto troca tiros com criminoso durante tentativa de assalto em São JoséCrime aconteceu na madrugada deste domingo (14), em um posto na BR-1012018-01-14T10:49:05-02:002018-01-14T10:49:05-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma tentativa de assalto a um posto de combustível, na BR-101, em São José, na Grande Florianópolis, quase acabou em tragédia. A Polícia Militar informa que dois homens em uma moto chegaram ao posto por volta das 4h30 deste domingo (14). Um dos criminosos foi até a conveniência, mas foi surpreendido pelo segurança do local. Houve troca de tiros. Um dos disparos acertou o colete balístico do vigilante, que não se feriu. Os assaltantes fugiram sem levar nada.Segundo um funcionário, que preferiu não divulgar o nome, o crime foi rápido. Dois homens em uma CG vermelha pararam no posto e o carona desceu. Ele foi até a conveniência e, ainda na porta, viu o vigilante a atirou. De acordo com o funcionário, foram três disparos, sendo que um atingiu o abdômen do vigia. A sorte é que ele estava usando colete e não se feriu.O segurança revidou e também atirou contra o assaltante. A princípio o criminoso não foi atingido. Eles fugiram em seguida e não levaram nada. Ainda de acordo com o funcionário, o posto, que fica no bairro Picadas do Sul, funciona 24 horas. No momento do crime havia quatro funcionários e aproximadamente quatro clientes no local. Até a manhã deste sábado, ninguém tinha sido preso. As imagens de segurança do posto serão entregues à Polícia Civil para investigação.Leia também:Sine de São José fecha as portas após quarto roubo à unidadeAutoria é definida em 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaSuspeito de matar professor indígena é preso em Gaspar, no Vale do ItajaíMotorista de Camaro que atropelou três em SC é preso por furto de energia no RSPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaVigilante de posto troca tiros com criminoso durante tentativa de assalto em São JoséHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-vigilante-de-posto-troca-tiros-com-criminoso-durante-tentativa-de-assalto-em-sao-jose-10118287Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24021731Autoria é definida em 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaEnquanto número de crimes aumentou 10% no Estado em 2017, a resolução diminuiu2018-01-13T05:00:02-02:002018-01-13T05:00:02-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSMarco FaveroAutoria é definida em 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24021731Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-autoria-e-definida-em-48-1-dos-casos-de-homicidio-em-santa-catarina-10117864Autoria é definida em 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaEnquanto número de crimes aumentou 10% no Estado em 2017, a resolução diminuiu2018-01-13T05:00:02-02:002018-01-13T05:00:02-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO balanço da segurança pública em Santa Catarina em 2017 mostra uma realidade que divide o Estado quando mortes são o assunto. Enquanto em 148 dos 295 municípios não houve registro de nenhum homicídio no ano passado, em apenas 10 das 147 cidades restantes ocorreram 530 assassinatos, mais da metade dos 983 homicídios registrados em todo território catarinense em 2017, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SPP). A mancha das mortes violentas se concentra na Grande Florianópolis, região de Itajaí, Joinville, Blumenau, Criciúma e no interior atinge apenas Chapecó. A SSP ressalta que metade das cidades não teve nenhum homicídio. No entanto, estes são municípios com até 10 mil habitantes e não abrangem nem 20% da população catarinense. Nos 10 municípios com mais registros de assassinatos vivem 2,6 milhões de pessoas, cerca de 38% do total da população catarinense. É nessas regiões, ricas e populosas, que o crime organizado atua e as autoridades encontram dificuldades em estancar a violência. Não bastasse o aumento de 10% nos homicídios em SC, o Estado ainda viu diminuir a resolução dos casos de 51,9% em 2016 para 48,1% em 2017. A resolução dos crimes, para a SSP, significa identificar a autoria do delito, o que não quer dizer que o suspeito tenha sido denunciado ou julgado e condenado. Delegado-geral da Polícia Civil, Arthur Nitz credita a dificuldade em resolver casos a dois motivos: primeiro, o fato de haver apenas duas delegacias especializadas em homicídios no Estado, uma em Florianópolis — onde o índice de resolução é de 70% —, e outra em Joinville – onde a taxa atinge 60%. No restante das cidades, quem atua são as Delegacias de Investigações Criminais (DICs), que trabalham em outros casos como roubos e tráfico de drogas. O segundo obstáculo, diz Nitz, é a dificuldade em obter informações em comunidades dominadas por facções criminosas. — O homicídio de hoje não é o que ocorria uma década atrás. Temos dificuldades em obter informações até em razão da lei do silêncio que reina em comunidades dominadas pelo tráfico — expõe o delegado-geral. Ele garante uma atuação mais "incisiva" da Polícia Civil em 2018 em Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí, São José, Palhoça, Navegantes, Criciúma e Chapecó "para tentar frear a violência" nesses locais, mas sem descuidar de outros municípios com população na faixa entre 50 mil e 70 mil pessoas.Solução de Casos na Capital Foto: Reprodução / Diário CatarinenseO assassinato que abriu a macabra estatística de mortes violentas em Florianópolis, ocorrido na madrugada de 1° de janeiro de 2017, quando a turista gaúcha Daniela Scotto, 38 anos, foi morta na comunidade do Papaquara, não vai a julgamento porque o suposto autor era um adolescente de 17 anos. O juizado da Infância e Juventude determinou o cumprimento de uma medida socioeducativa de internação. Já os suspeitos de envolvimento em uma chacina que matou quatro pessoas no morro da Costeira do Pirajubaé, na noite de 5 de abril, foram indiciados pela Polícia Civil, denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) e ainda aguardam julgamento pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC). Em abril, chacina na CosteiraFoto: Marco Favero / Agencia RBSO mesmo ocorre com os acusados de matar Vilmar de Souza Junior, o Juninho, de 29 anos, em frente ao Mercado Público de Florianópolis no final da manhã de 3 de março. Um dos suspeitos já foi denunciado, mas a ação penal ainda transcorre na Justiça.Joinville e BlumenauJoinville registrou 137 mortes violentas no ano passado — 8% a mais do que em 2016. Um dos casos de grande repercussão — e que teve o inquérito concluído em outubro — foi a morte do policial militar Joacir Roberto Vieira, 43 anos. A execução do PM ocorreu no início da onda dos atentados a agentes de segurança pública realizados por facções criminosas. O policial foi morto a tiros dentro de um estabelecimento comercial no bairro João Costa, zona Sul. Quatro pessoas foram indiciadas.Em Blumenau, dos 42 homicídios que ocorreram em 2017, o índice de resolução chegou à marca de 71,7%, conforme a DIC. Tráfico e desavenças, conforme o delegado Bruno Effori, impulsionaram a alta no número de casos, que foi o maior na cidade em duas décadas. Colaboraram Augusto Ittner, Gabriela Florêncio e Lucas Paraizo.Foto: Reprodução / Diário CatarinenseJovens e adultos são os que mais matam e morremA maior parte das vítimas de homicídio, latrocínio ou confrontos com a polícia em SC é formada por jovens e adultos com 25 anos ou mais, moradores locais, assassinados por arma de fogo à noite e nos finais de semana. O envolvimento com o tráfico é a principal motivação. Segundo especialistas, o turismo da Capital e do litoral catarinense é um chamariz para facções interessadas em ampliar o mercado saturado nas grandes metrópoles brasileiras. As polícias e o Ministério Público confirmam que as duas principais organizações criminosas do país atuam no Estado. A maior delas, de São Paulo, tem disputado mercado com grupos locais.— A lei de mercado serve para qualquer produto, seja ele lícito ou ilícito. Quando está saturado em um lugar, se procura outros centros. Outro fator que contribui para a escolha da região é o turismo. A facção de São Paulo, que está dominando, faz essa pesquisa – alerta a economista, socióloga e diretora de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Assistência Social, Maria Elisa de Caro.O avanço do crime organizado tem cooptado cada vez mais cedo os jovens que crescem em regiões vulneráveis. Dos 165 casos de homicídio, latrocínio e mortos em confronto com a polícia que ocorreram em 2017 e são investigados pela Delegacia de Homicídios, pouco mais da metade (86) tiveram adultos como vítimas, enquanto que 56 eram vítimas jovens (33,9%). Os adolescentes ocuparam uma fatia de 7% (12 casos).— Como falta perspectiva de estudo e do primeiro emprego, uma situação geral no Brasil, em vez de o jovem usar a sua energia e capacidade para algo que seja produtivo, acaba cooptado por aqueles que oferecem oportunidades na contravenção. Além disso, o adolescente é mais ousado e tem menor capacidade de percepção de riscos — completa a especialista.Entre os autores, a proporção do envolvimento de jovens é maior na Capital. Segundo o levantamento da Delegacia de Homicídios, dos 121 casos em que a autoria foi identificada, 43% (52) correspondem a autores entre 18 e 24 anos. O envolvimento de adultos equivale a 36% (44) e o de adolescentes a 21% (25). Outros 10 casos envolvem confrontos com a polícia – que também são investigados pelo Ministério Público em um procedimento aberto em meados de 2017, após o órgão constatar crescimento no número de mortes em intervenção policial na Capital.Outro dado revela a origem das vítimas. Diferente do interior, quase metade das pessoas assassinadas em Florianópolis (73) era natural de outros Estados, enquanto que 31% (51) eram da Capital, 19% (31) de outros municípios catarinenses e 6% (10) de origem desconhecida.Para o promotor de Justiça Jadel da Silva Júnior, que integra o Grupo Estadual do Tribunal do Júri, o avanço das organizações criminosas, principalmente de fora do Estado, é reflexo de falhas na gestão pública do sistema prisional e ausência de equipamentos e alternativas sociais nas regiões vulneráveis.Na última semana, quando o balanço dos homicídios ocorridos em 2017 foi divulgado pela SSP, o titular da pasta, César Grubba, disse por meio da assessoria que "é inegável que a criminalidade está cada vez mais audaciosa e isso é inquietante". Ele destacou a nomeação de 9.344 servidores para a segurança desde 2011 e garantiu ainda o empenho no combate às facções criminosas, definidas como "o grande vilão da explosão dos assassinatos no Estado". Investigação é frágilO promotor de Justiça Jadel da Silva Júnior, que acompanha a situação do Estado por integrar o grupo de profissionais que atuam nos Tribunais do Júri (onde são julgados os crimes contra a vida), revela que a média de tempo para se chegar ao julgamento final em um processo de homicídio é de aproximadamente um ano quando o réu está preso. Nos casos em que o réu permanece solto, o julgamento pode levar de dois a três anos. Quando a autoria do crime não é identificada, o processo acaba sendo arquivado. Segundo levantamento da SSP, a identificação da autoria dos crimes chega a uma média de 50% dos casos. Em Florianópolis, segundo a Delegacia de Homicídios, a identificação de autoria alcançou 73% dos inquéritos (121 dos 165). Porém, a carência de provas e de testemunhas acaba prejudicando o desdobramento na Justiça.— As investigações têm sido cada vez mais precárias e reduzidas (pela carência de efetivo das polícias). Quando nós recebemos os inquéritos policiais, na grande maioria, eles vêm carentes de provas a respeito da autoria, da materialidade. Há dificuldade em se mover ações penais.Outro ponto citado pelo promotor é que o testemunho do crime acaba ficando em torno dos policiais que atenderam a ocorrência.Leia mais: 2017 registra onda de violência contra as polícias, motins e atos de ódio e desumanidadeom:cms -->Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaAutoria é definida em 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-autoria-e-definida-em-48-1-dos-casos-de-homicidio-em-santa-catarina-10117864Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24021731Autoria é definida em apenas 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaEnquanto número de crimes aumentou 10% no Estado em 2017, a resolução diminuiu2018-01-13T05:00:01-02:002018-01-13T05:00:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSMarco FaveroAutoria é definida em apenas 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24021731Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-autoria-e-definida-em-apenas-48-1-dos-casos-de-homicidio-em-santa-catarina-10117739Autoria é definida em apenas 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaEnquanto número de crimes aumentou 10% no Estado em 2017, a resolução diminuiu2018-01-13T05:00:01-02:002018-01-13T05:00:01-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO balanço da segurança pública em Santa Catarina em 2017 mostra uma realidade que divide o Estado quando mortes são o assunto. Enquanto em 148 dos 295 municípios não houve registro de nenhum homicídio no ano passado, em apenas 10 das 147 cidades restantes ocorreram 530 assassinatos, mais da metade dos 983 homicídios registrados em todo território catarinense em 2017, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SPP). A mancha das mortes violentas se concentra na Grande Florianópolis, região de Itajaí, Joinville, Blumenau, Criciúma e no interior atinge apenas Chapecó. A SSP ressalta que metade das cidades não teve nenhum homicídio. No entanto, estes são municípios com até 10 mil habitantes e não abrangem nem 20% da população catarinense. Nos 10 municípios com mais registros de assassinatos vivem 2,6 milhões de pessoas, cerca de 38% do total da população catarinense. É nessas regiões, ricas e populosas, que o crime organizado atua e as autoridades encontram dificuldades em estancar a violência. Não bastasse o aumento de 10% nos homicídios em SC, o Estado ainda viu diminuir a resolução dos casos de 51,9% em 2016 para 48,1% em 2017. A resolução dos crimes, para a SSP, significa identificar a autoria do delito, o que não quer dizer que o suspeito tenha sido denunciado ou julgado e condenado. Delegado-geral da Polícia Civil, Arthur Nitz credita a dificuldade em resolver casos a dois motivos: primeiro, o fato de haver apenas duas delegacias especializadas em homicídios no Estado, uma em Florianópolis — onde o índice de resolução é de 70% —, e outra em Joinville – onde a taxa atinge 60%. No restante das cidades, quem atua são as Delegacias de Investigações Criminais (DICs), que trabalham em outros casos como roubos e tráfico de drogas. O segundo obstáculo, diz Nitz, é a dificuldade em obter informações em comunidades dominadas por facções criminosas. — O homicídio de hoje não é o que ocorria uma década atrás. Temos dificuldades em obter informações até em razão da lei do silêncio que reina em comunidades dominadas pelo tráfico — expõe o delegado-geral. Ele garante uma atuação mais "incisiva" da Polícia Civil em 2018 em Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí, São José, Palhoça, Navegantes, Criciúma e Chapecó "para tentar frear a violência" nesses locais, mas sem descuidar de outros municípios com população na faixa entre 50 mil e 70 mil pessoas.Solução de Casos na Capital Foto: Reprodução / Diário CatarinenseO assassinato que abriu a macabra estatística de mortes violentas em Florianópolis, ocorrido na madrugada de 1° de janeiro de 2017, quando a turista gaúcha Daniela Scotto, 38 anos, foi morta na comunidade do Papaquara, não vai a julgamento porque o suposto autor era um adolescente de 17 anos. O juizado da Infância e Juventude determinou o cumprimento de uma medida socioeducativa de internação. Já os suspeitos de envolvimento em uma chacina que matou quatro pessoas no morro da Costeira do Pirajubaé, na noite de 5 de abril, foram indiciados pela Polícia Civil, denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) e ainda aguardam julgamento pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC). Em abril, chacina na CosteiraFoto: Marco Favero / Agencia RBSO mesmo ocorre com os acusados de matar Vilmar de Souza Junior, o Juninho, de 29 anos, em frente ao Mercado Público de Florianópolis no final da manhã de 3 de março. Um dos suspeitos já foi denunciado, mas a ação penal ainda transcorre na Justiça.Joinville e BlumenauJoinville registrou 137 mortes violentas no ano passado — 8% a mais do que em 2016. Um dos casos de grande repercussão — e que teve o inquérito concluído em outubro — foi a morte do policial militar Joacir Roberto Vieira, 43 anos. A execução do PM ocorreu no início da onda dos atentados a agentes de segurança pública realizados por facções criminosas. O policial foi morto a tiros dentro de um estabelecimento comercial no bairro João Costa, zona Sul. Quatro pessoas foram indiciadas.Em Blumenau, dos 42 homicídios que ocorreram em 2017, o índice de resolução chegou à marca de 71,7%, conforme a DIC. Tráfico e desavenças, conforme o delegado Bruno Effori, impulsionaram a alta no número de casos, que foi o maior na cidade em duas décadas. Colaboraram Augusto Ittner, Gabriela Florêncio e Lucas Paraizo.Foto: Reprodução / Diário CatarinenseJovens e adultos são os que mais matam e morremA maior parte das vítimas de homicídio, latrocínio ou confrontos com a polícia em SC é formada por jovens e adultos com 25 anos ou mais, moradores locais, assassinados por arma de fogo à noite e nos finais de semana. O envolvimento com o tráfico é a principal motivação. Segundo especialistas, o turismo da Capital e do litoral catarinense é um chamariz para facções interessadas em ampliar o mercado saturado nas grandes metrópoles brasileiras. As polícias e o Ministério Público confirmam que as duas principais organizações criminosas do país atuam no Estado. A maior delas, de São Paulo, tem disputado mercado com grupos locais.— A lei de mercado serve para qualquer produto, seja ele lícito ou ilícito. Quando está saturado em um lugar, se procura outros centros. Outro fator que contribui para a escolha da região é o turismo. A facção de São Paulo, que está dominando, faz essa pesquisa – alerta a economista, socióloga e diretora de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Assistência Social, Maria Elisa de Caro.O avanço do crime organizado tem cooptado cada vez mais cedo os jovens que crescem em regiões vulneráveis. Dos 165 casos de homicídio, latrocínio e mortos em confronto com a polícia que ocorreram em 2017 e são investigados pela Delegacia de Homicídios, pouco mais da metade (86) tiveram adultos como vítimas, enquanto que 56 eram vítimas jovens (33,9%). Os adolescentes ocuparam uma fatia de 7% (12 casos).— Como falta perspectiva de estudo e do primeiro emprego, uma situação geral no Brasil, em vez de o jovem usar a sua energia e capacidade para algo que seja produtivo, acaba cooptado por aqueles que oferecem oportunidades na contravenção. Além disso, o adolescente é mais ousado e tem menor capacidade de percepção de riscos — completa a especialista.Entre os autores, a proporção do envolvimento de jovens é maior na Capital. Segundo o levantamento da Delegacia de Homicídios, dos 121 casos em que a autoria foi identificada, 43% (52) correspondem a autores entre 18 e 24 anos. O envolvimento de adultos equivale a 36% (44) e o de adolescentes a 21% (25). Outros 10 casos envolvem confrontos com a polícia – que também são investigados pelo Ministério Público em um procedimento aberto em meados de 2017, após o órgão constatar crescimento no número de mortes em intervenção policial na Capital.Outro dado revela a origem das vítimas. Diferente do interior, quase metade das pessoas assassinadas em Florianópolis (73) era natural de outros Estados, enquanto que 31% (51) eram da Capital, 19% (31) de outros municípios catarinenses e 6% (10) de origem desconhecida.Para o promotor de Justiça Jadel da Silva Júnior, que integra o Grupo Estadual do Tribunal do Júri, o avanço das organizações criminosas, principalmente de fora do Estado, é reflexo de falhas na gestão pública do sistema prisional e ausência de equipamentos e alternativas sociais nas regiões vulneráveis.Na última semana, quando o balanço dos homicídios ocorridos em 2017 foi divulgado pela SSP, o titular da pasta, César Grubba, disse por meio da assessoria que "é inegável que a criminalidade está cada vez mais audaciosa e isso é inquietante". Ele destacou a nomeação de 9.344 servidores para a segurança desde 2011 e garantiu ainda o empenho no combate às facções criminosas, definidas como "o grande vilão da explosão dos assassinatos no Estado". Investigação é frágilO promotor de Justiça Jadel da Silva Júnior, que acompanha a situação do Estado por integrar o grupo de profissionais que atuam nos Tribunais do Júri (onde são julgados os crimes contra a vida), revela que a média de tempo para se chegar ao julgamento final em um processo de homicídio é de aproximadamente um ano quando o réu está preso. Nos casos em que o réu permanece solto, o julgamento pode levar de dois a três anos. Quando a autoria do crime não é identificada, o processo acaba sendo arquivado. Segundo levantamento da SSP, a identificação da autoria dos crimes chega a uma média de 50% dos casos. Em Florianópolis, segundo a Delegacia de Homicídios, a identificação de autoria alcançou 73% dos inquéritos (121 dos 165). Porém, a carência de provas e de testemunhas acaba prejudicando o desdobramento na Justiça.— As investigações têm sido cada vez mais precárias e reduzidas (pela carência de efetivo das polícias). Quando nós recebemos os inquéritos policiais, na grande maioria, eles vêm carentes de provas a respeito da autoria, da materialidade. Há dificuldade em se mover ações penais.Outro ponto citado pelo promotor é que o testemunho do crime acaba ficando em torno dos policiais que atenderam a ocorrência.Leia mais: 2017 registra onda de violência contra as polícias, motins e atos de ódio e desumanidadeom:cms -->Porto Alegre, RSHora de Santa CatarinaAutoria é definida em apenas 48,1% dos casos de homicídio em Santa CatarinaHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-autoria-e-definida-em-apenas-48-1-dos-casos-de-homicidio-em-santa-catarina-10117739Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24019986Suspeito de matar professor indígena é preso em Gaspar, no Vale do ItajaíPolícia Civil localizou Gilmar César de Lima na manhã desta sexta-feira (12)2018-01-12T09:28:00-02:002018-01-12T09:28:00-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPolícia CivilSuspeito de matar professor indígena é preso em Gaspar, no Vale do ItajaíHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:24019986Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-suspeito-de-matar-professor-indigena-e-preso-em-gaspar-no-vale-do-itajai-10117011Suspeito de matar professor indígena é preso em Gaspar, no Vale do ItajaíPolícia Civil localizou Gilmar César de Lima na manhã desta sexta-feira (12)2018-01-12T09:28:00-02:002018-01-12T09:28:00-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brFoi preso na manhã desta sexta-feira (12) o suspeito de matar o professor indígena Marcondes Nambla, de 36 anos, espancado em Penha na madrugada do dia 1º de janeiro. Segundo o delegado-geral adjunto da Polícia Civil em Santa Catarina, Marcos Ghizoni, Gilmar César de Lima, de 23 anos teria confessado o crime após ser localizado na casa de familiares após oito mandados de busca.— Ele confessou que realmente matou o índio por uma discussão envolvendo o cachorro dele — afirmou Ghizoni.Segundo delegado Douglas Teixeira Barroco, responsável pela investigação do caso, o homem morava em Gaspar e atualmente residia em Penha, no Litoral Norte, mas teria abandonado a casa após o crime e estava foragido.Segundo a polícia, Lima teria antecedentes por crimes como homicídio qualificado, roubo, furto, lesão corporal e receptação. O delegado-geral adjunto da Polícia Civil em Santa Catarina, Marcos Ghizoni, já havia confirmado que "o índio foi morto pelo que chamamos tecnicamente de motivo fútil". O delegado Barroco cita que a identificação do suspeito só foi possível através do vídeo de uma câmera de segurança que registrou o momento da agressão, e da ajuda de testemunhas oculares do ocorrido. —Inclusive, ele falava que fez aquilo porque a vítima mexido com o cachorro dele. Falava isso para as pessoas que estavam passando pelo local — cita o delegado responsável pelo caso. Leia mais:"A comunidade está revoltada", diz líder da aldeia de professor morto em PenhaPolícia descarta latrocínio e investiga morte de indígena Indígenas fazem homenagem a Marcondes Namblá no local onde ele foi espancado em PenhaPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaSuspeito de matar professor indígena é preso em Gaspar, no Vale do ItajaíHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-suspeito-de-matar-professor-indigena-e-preso-em-gaspar-no-vale-do-itajai-10117011Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:22534635Motorista de Camaro que atropelou três em SC é preso por furto de energia no RS Jeferson Rodrigo de Souza Bueno foi detido por furto de energia elétrica em Araricá2018-01-11T17:02:53-02:002018-01-11T17:02:53-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSReproduçãoMotorista de Camaro que atropelou três em SC é preso por furto de energia no RSHora de Santa Catarinaurn:publicid:clicrbs.com.br:22534635Change0Usableurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-motorista-de-camaro-que-atropelou-tres-em-sc-e-preso-por-furto-de-energia-no-rs-10116334Motorista de Camaro que atropelou três em SC é preso por furto de energia no RS Jeferson Rodrigo de Souza Bueno foi detido por furto de energia elétrica em Araricá2018-01-11T17:02:53-02:002018-01-11T17:02:53-02:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO homem envolvido em um atropelamento na Praia dos Ingleses, em Santa Catarina, no início do ano passado, quando conduzia um Camaro, foi preso em flagrante durante ação do Departamento de Investigações Criminais (Deic) nesta quinta-feira (11). Jeferson Rodrigo de Souza Bueno é suspeito de furto de energia elétrica em uma empresa de Araricá, no Vale do Sinos.Outras duas pessoas foram presas na mesma ação – uma também por furto de energia e outra por porte ilegal de arma de fogo. De acordo com a delegada Marina Goltz, funcionários da concessionária RGE afirmavam ter dificuldades de fiscalizar a empresa, pois sempre eram ameaçados. Desta vez, policiais civis acompanharam a fiscalização e realizaram as prisões. O prejuízo à concessionária de energia ainda não foi contabilizado. Jeferson é gerente da empresa investigada, que não teve o nome divulgado.À reportagem, a defesa de Jeferson alegou que ele não possui "gerência ou figura em qualquer contrato social da empresa". Eles vão ingressar com pedido de relaxamento da prisão na Comarca de Sapiranga. Atropelamento em SCNo dia 1º de janeiro de 2017, Bueno se envolveu em um acidente de trânsito que deixou uma pessoa morta e outras duas feridas na Praia dos Ingleses, em Florianópolis. Denunciado à Justiça por homicídio doloso triplamente qualificado, não chegou a ser preso.Ele se apresentou em abril, após o mandado de prisão ser suspenso pela Justiça catarinense. Ele pagou fiança de R$ 70.275, e a Justiça impôs a ele outras restrições: comparecimento mensal no juízo em que reside para informar e justificar suas atividades, proibição de se ausentar da Comarca em que reside por prazo superior a oito dias sem anuência do juiz, suspensão do direito da permissão ou da habilitação para dirigir veículo automotor pelo prazo de dois anos e comparecimento ao Cartório da Capital para citação pessoal, ciência das condições impostas e entrega de sua CNH. No acidente, Cristiane Flores, de 31 anos, morreu. O marido dela, Nilandres Lodi, teve as duas pernas amputadas, e Gean Matos, 22 anos, amigo do casal, teve traumatismo craniano e lesão em um dos pulmões.Na época, a defesa de Bueno alegou que a culpa pela perda do controle do Camaro era de um outro motorista, que teria colidido lateralmente no veículo, causando o acidente. O jovem foi ouvido pelas autoridades catarinense, mas não foi indiciado.Leia mais:Homem atropelado por Camaro na praia dos Ingleses tem as duas pernas amputadasJuiz revoga prisão e aplica fiança e restrições a motorista de Camaro que atropelou três nos Ingleses"Vim aqui ouvir um monte de mentiras", diz vítima de acidente com Camaro após audiência com motoristaJustiça decide que dono de Camaro que atropelou trio em SC deve indenizar família de vítimaPorto Alegre, RSHora de Santa CatarinaMotorista de Camaro que atropelou três em SC é preso por furto de energia no RSHora de Santa Catarinaurn:publicid:horadesantacatarina-clicrbs-com-br-sc-policia-motorista-de-camaro-que-atropelou-tres-em-sc-e-preso-por-furto-de-energia-no-rs-10116334Change0Usable