Órgãos de segurança e MP definem medidas contra violência na região da UFSC - Polícia - Hora

Versão mobile

 

Insegurança07/06/2018 | 20h41Atualizada em 07/06/2018 | 20h46

Órgãos de segurança e MP definem medidas contra violência na região da UFSC

Após dois casos de homicídios, bares no bairro Pantanal deverão encerrar as atividades à meia-noite

Órgãos de segurança e MP definem medidas contra violência na região da UFSC Ingrid Santos/Diário Catarinense
Foto: Ingrid Santos / Diário Catarinense

O Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) e os órgãos de segurança pública em Florianópolis definiram, em reunião nesta quinta-feira (7), uma série de medidas de combate e prevenção aos casos recentes de violência, assassinatos e perturbação próximo ao campus central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no bairro Pantanal. Entre elas, está a limitação do horário de funcionamento dos quatro bares localizados na via central do bairro até a meia-noite. A medida já está valendo.

A reunião aconteceu após dois casos recentes de homicídio durante o horário de funcionamento dos bares. No último sábado (2), um adolescente foi morto por uma arma de fogo. E na terça-feira (5), um jovem de 25 anos, internado desde 28 de maio após ser espancado em frente à UFSC por homens com um skate e pedras, também não resistiu. 

A Polícia Militar se comprometeu a promover, de maneira ostensiva, a aplicação de multas e recolhimento de veículos estacionados nas áreas não permitidas naquela região. Já os gerentes dos bares Container Pantanal, Temakeria Universitária e Bar do Maneca se comprometeram a impedir a propagação de música no interior dos estabelecimentos, exceto nos casos em que já exista uma licença ambiental vigente autorizando a prática. O Meu Escritório, por sua vez, foi fechado temporariamente por falta de alvará.

Um dos problemas apontados pela Secretaria de Segurança Institucional da UFSC está localizado em um bolsão que fica às margens da Rua Edu Vieira, em uma das saídas do campus. O local passa por obras de duplicação e atualmente está sem iluminação e impedido de ser cercado.

Representantes do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) da Bacia do Itacorubi informaram ter relatos de casos de consumo de drogas e de problemas recorrentes de som alto. O titular da 30ª Promotoria de Justiça da Capital, Promotor de Justiça Daniel Paladino sugeriu que se promova o isolamento ou fechamento da área.

A secretária municipal de Segurança Pública, Maryanne Mattos, ficou responsável por verificar a viabilidade desta medida e informou que a prefeitura ajudará nas melhorias da iluminação e também na sinalização de trânsito no local, como placas que evidenciem a proibição de estacionamento na Edu Vieira, via central do bairro. 

No encontro também foi anunciado pelo delegado Marcos Alessandro Vieira Assad, da Gerência de Jogos e Diversões da Polícia Civil, que o bar Meu Escritório foi interditado temporariamente. O local estava com o alvará da Polícia Civil vencido desde fevereiro e só poderá voltar a operar após renovação e realização de um estudo do impacto local causado pelo bar.

Foi agendada uma segunda reunião, a ser realizada no próximo dia 21, envolvendo os órgãos de segurança para debater a eficácia das medidas tomadas. 

Leia mais notícias da Grande Florianópolis

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCFigueirense em situação complicada: ação na Justiça e ameaça de paralisação https://t.co/hDvUxyYD0zhá 18 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCEstrutura natalina em empresa do bairro Pantanal impressiona. https://t.co/7eLrCIpYhPhá 48 minutosRetweet

Veja também

Hora de Santa Catarina
Busca