Homem que foi visto em trilha que moradora da Capital morreu é ouvido pela polícia - Polícia - Hora

Vers?o mobile

 
 

Assassinato em Arraial do Cabo23/11/2018 | 18h06Atualizada em 23/11/2018 | 18h10

Homem que foi visto em trilha que moradora da Capital morreu é ouvido pela polícia

Conforme a assessoria de imprensa da Polícia Civil do RJ, o delegado Mariano não considera o homem suspeito do crime

Homem que foi visto em trilha que moradora da Capital morreu é ouvido pela polícia Divulgação/Polícia Civil
Foto: Divulgação / Polícia Civil

O delegado Renato Mariano, da 132ª DP de Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, tomou o depoimento de um homem que foi visto pelo Corpo de Bombeiros na mesma trilha onde foi encontrado o corpo de Fabiane Fernandes, moradora de Florianópolis morta em uma Trilha da Prainha, no balneário fluminense, no último domingo (18). O interrogatório, feito no fim da tarde de quinta-feira (22), não trouxe novidades na investigação do caso. 

Tanto que o homem, que estava acampado em outra trilha da região, foi liberado após o depoimento. Conforme a assessoria de imprensa da Polícia Civil do RJ, o delegado Mariano não considera o homem suspeito do crime. De acordo com a assessoria, o delegado não identificou nenhuma evidência que ligue o homem ao crime e descarta, por ora, sua participação no crime. 

Localizado pela Guarda Ambiental, em uma construção abandonada no Pontal da Atalaia, distante da Trilha da Prainha, onde Fabiane foi encontrada sem vida na quarta-feira (21), o jovem foi conduzido até a delegacia de Arraial do Cabo para prestar esclarecimentos, já que dias antes tinha sido visto na mesma trilha onde a moradora de Florianópolis foi encontrada. Outro homem que estaria com ele também é procurado para depor. 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil fluminense não soube dizer quantas pessoas já foram ouvidas no inquérito que apura a morte da moradora de Ingleses, no norte da Ilha. 

 Fabiane Fernandes, moradora de Florianópolis encontrada morta em uma trilha em Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, foi assassinada com golpes na cabeça e no rosto, informou a médica legista Kesley Couto de Castro, do Instituto Médico-Legal (IML) de Araruama, para onde o corpo foi levado. A vítima teve traumatismo crânio-encefálico e traumatismo de face motivado por ação contundente. Isso indica que os golpes foram desferidos com algum objeto. Havia pedras com manchas de sangue no local do crime.  

Polícia do RJ lança disque denúncia para encontrar assassino de Fabiane

Moradora de Florianópolis desaparece durante trilha em Arraial do Cabo
Foto: Reprodução / Facebook

A Polícia Civil do Rio de Janeiro lançou nesta sexta-feira um cartaz do disque denúncia solicitando informações que levem ao paradeiro do ou dos assassinos da moradora de Florianópolis Fabiane Fernandes, de 30 anos. O cartaz pergunta “quem matou?”, pede informações que ajudem a esclarecer o caso e garante o anonimato de quem fizer as denúncias, além de disponibilizar um número de telefone fixo e um número de celular com WhatsApp. 

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCIeda Prates, uma mulher influente https://t.co/cr87xaykmvhá 39 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCEduardo Bolsonaro diz "Lula" como dica associada à palavra "livre" em programa de TV  https://t.co/UEGmKudv2shá 39 minutosRetweet

Veja também

Hora de Santa Catarina
Busca